No dia 15 de fevereiro de 2020 o Museu de Arte Moderna do Rio recebeu a exposição “Poça/Possa”, de Ana Paula Oliveira, com curadoria de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes. Pensada especialmente para ocupar o Salão Monumental do Museu, a mostra individual exibibe dois trabalhos inéditos da mineira radicada em São Paulo, que pela primeira vez tem suas obras expostas no Rio.

A artista não esconde o entusiasmo. “Quero questionar o que nos sustenta, no tempo e no espaço. A possibilidade de criar leveza ou densidade, de explorar o cheio e o vazio são disparadores não excludentes que sempre me provocaram”, admite Ana Paula.

Ao longo de pouco mais de duas décadas, a artista vem construindo uma produção interessada em discutir questões caras ao pensamento escultórico. Peso, estrutura, equilíbrio, massa, a relação com o espaço e com a arquitetura, além da presença física do espectador, são alguns dos princípios que norteiam o uso de materiais tão comuns quanto inusitados. Graxa, mármore, dormentes, pedras, vidro, chumbo, sacos plásticos, peixes, casulos e borboletas, placas de ferro, borracha e sabão compõem o repertório visual de Ana Paula.

As obras inéditas

No espaço dedicado à individual, o Salão Monumental do MAM, dois trabalhos inéditos serão exibidos, Poça/Possa e Subserviência. A intervenção que dá nome à exposição, Poça/Possa, se espalha pelo chão do museu. O trabalho se estrutura a partir de quase 40 dormentes de madeira, desses usados como estacas improvisadas que escoram construções condenadas, prestes a ruir. Apoiados nas paredes e no chão, pressionam placas de vidro (de dois metros de comprimento), umas contra as outras, formando grandes poças de graxa. Materiais e ferramentas como borracha, sargentos, cunhas, argila e cabos de aço oferecem sustentação ao vidro diante da pressão de duas toneladas de material viscoso.

Já o outro trabalho que complementa a mostra, a escultura Subserviência, parte de um desenho de observação em nanquim de uma das palmeiras imperiais do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. O trabalho tem o tamanho original da palmeira retratada, 20 metros de extensão, e é estruturado como um pergaminho.


Visite a exposição ‘Poça/Possa’:

Data: de 15 de fevereiro de 2020 a 10 de maio de 2020
Local: MAM Rio – Salão Monumental (Av. Infante Dom Henrique, 85 – Aterro do Flamengo)
Horários de visitação: De terça a sexta, das 10h às 17h – Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h