Arte a céu aberto na Marina da Glória

Um dos mais belos cartões postais do Rio de Janeiro se transformou em um grande museu aberto com obras modernas e contemporâneas. É a mostra ‘Monumental – Arte na Marina da Glória’ que tem curadoria de Marc Pottier e fica aberta para visitação até 18 de dezembro. A megaexposição reúne trabalhos de grandes dimensões de 19 artistas de algumas das principais galerias brasileiras. A Matias Brotas é uma das galerias presentes representando obras de três artistas: Antonio Bokel, Paulo Vivacqua e Manfredo de Souzanetto.

A exposição traz uma variedade de expressões artísticas como instalações, esculturas, grafites, experiências interativas, performances e obras de som – todas estabelecendo uma suave interação com a arquitetura e o local. O artista Paulo Vivacqua apresenta a instalação sonora “Floresta imaginária’’ (2016), com oito canais de áudio, instalados no estacionamento. Eles descrevem a paisagem sonora de uma floresta, evocando, nas palavras do artista, um estado de apreensão permanente, “numa atmosfera onde transitam e cruzam cantos, pássaros e visagens”.


Depois de ser exposta em Vitória, na individual ‘Nada além das palavras’, na Matias Brotas arte contemporânea’, a obra ‘Babel’, uma torre de blocos de cimento com mãos em bronze saindo dos blocos, do artista carioca Antonio Bokel, também foi selecionada pelo curador Marc Pottier para fazer parte dessa megaexposição.


A obra ‘Pedras’, do artista Manfredo de Souzanetto é outra instalação no local e consiste em 42 cópias de uma pedra natural sendo realizadas 21 em porcelana e 21 em bronze, que estabelece um jogo entre natureza e cultura, a diversidade dos materiais empregados e a divergência entre leve e pesado.

Além de Antonio Bokel, Paulo Vivacqua e Manfredo de Souzanetto, quem passar por lá vai conferir também obras dos artistas Almandrade, Amilcar de Castro, André Azevedo, Artur Lescher, Caligrapixo, Delson Uchoa, Dirceu Maués, Frida Baranek, Flávio Cerqueira, Franz Weissmann, Galeno, Giovani Caramello, Henrique Oliveira, Ivani Pedrosa, Luiz Philippe Carneiro de Mendonça, Ursula Tautz e Zemog.

Confira aqui neste vídeo uma parte do audio apresentado por Paulo Vivacqua na Instalação “Floresta imaginária’’ (2016):