A terceira edição da Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Anozero`19), que teve início no dia 02 de novembro, tem a participação de dois artistas representados pela Matias Brotas Arte Contemporânea, José Spaniol e José Bechara.

O trabalho “Sonhos de Outubro”, do artista José Spaniol, que tem 10 metros de altura, faz referência a uma onda e foi desenvolvida a partir da observação do mar, da imprevisibilidade e surpresas que os oceanos sugerem. O trabalho do artista está na Sala da Cidade.

Já a instalação de José Bechara, exposta no Convento de Santa Clara-a-Nova, assenta em grelhas construtivas onde cromatismos cintilantes ou ferrosos flutuam em espaços ilimitados. A mesma orientação precede as suas esculturas, nas quais volumes geométricos, íntegros e vazados, se emaranham e multiplicam.

A engenharia destes espaços multidimensionais de Bechara converge, desmaterializada, nas suas instalações de vidro, cuja espacialidade interna é construída pelo volume variável de vazio existente entre os sucessivos planos de vidros suspensos.

O professor de arquitetura e crítico de arte Agnaldo Farias assume a curadoria dessa bienal e a curadoria-adjunta é de Lígia Afonso e Nuno de Brito Rocha.

Visite!

Local: As exposições, que são de entrada livre, vão ocupar vários espaços da cidade de Coimbra. Veja a programação no link: bienalsur.org/es/today/93.

Data: até 29 de dezembro de 2019.

Acompanhe pelo Instagram: https://www.instagram.com/bienalsurarte/.