Ana Teixeira

Para Ler: Dica de livro por Ana Teixeira

Um relato sobre a leitura do livro “O escolhido foi você”, de Miranda July, Companhia das Letras, 2013

Meu primeiro contato com Miranda July foi ao assistir seu filme “Eu, você e todos nós” (Me and you and everyone we know), de 2005, que estreou no Brasil durante a 29ª Mostra Internacional de Cinema, em outubro daquele ano.

Miranda define-se em seu site (www.mirandajuly.com) como cineasta, artista e escritora. Minha identificação com ela aconteceu antes que eu soubesse disto, mas esta multiplicidade me interessa e quase sempre me vejo envolvida por pessoas que afirmam ter mais de uma profissão.

Eu assisti ao “Futuro”, seu segundo longa, na Mostra Internacional de 2011. O filme trata com ironia e algum desprezo dois jovens adultos contemporâneos e sua incapacidade de amadurecer.

O livro “O escolhido foi você” é o resultado de uma pesquisa feita por Miranda durante a concepção do roteiro deste filme, em meio a uma crise criativa e à espera de financiamento para rodar o longa. Tem um formato que não se encaixa em nenhuma categoria pré-estabelecida. Não é um romance, nem um relato documental apenas. A artista/etc entrevista pessoas que vendem bens pessoais por meio de um jornalzinho distribuído gratuitamente no bairro onde mora. Ursinhos Carinhosos, uma jaqueta de couro, um velho secador de cabelos… Miranda propõe-se a conhecer de perto os vendedores destes itens e as conversas são transcritas no livro em meio a fotos dos personagens em seu cotidiano, e reflexões da autora sobre sua vida, sua produção artística, angústias existenciais e solidão, que, no final das contas, são temas que pertencem e atormentam a todos nós.

Diz ela: “Tudo que eu sempre quis mesmo saber é como as pessoas estão se virando na vida – onde […]

  • De Sangue e Ossos | Exposição Coletiva | Matias Brotas | 22.03.18 a 04.05.18
    Permalink Gallery

    De Sangue e Ossos | Exposição Coletiva | Matias Brotas | 22.03.18 a 04.05.18

De Sangue e Ossos | Exposição Coletiva | Matias Brotas | 22.03.18 a 04.05.18

Matias Brotas abre primeira exposição de 2018 ‘ De Sangue e Ossos’

A coletiva, que tem curadoria de Isabel Portella, abre ao público dia 22 de março com uma seleção de 38 obras de 14 artistas contemporâneos.

A exposição que abre o calendário de 2018 da Matias Brotas arte contemporânea traz à Vitória 14 artistas e 38 obras inéditas no Estado. Com curadoria de Isabel Portella, a coletiva “De Sangue e Ossos”, nos remete a pensar o corpo e o espaço no mundo contemporâneo. As obras questionam estruturas, ossos e esqueletos que sustentam e organizam, mas também trazem o corpo vivo, produtivo de sensações e afetos. Se os artistas selecionados emocionam com suas propostas pessoais, suas poéticas, talvez haja um denominador comum que os mantem despertos. Talvez um mesmo sangue corra em suas veias, um fluido de liberdade criadora que impulsiona gerando o prazer.

A exposição contempla uma seleção de diferentes suportes artísticos, de instalações a vídeos, objetos e fotografia. Adrianna Eu, Antonio Bokel, Carla Chaim, Ana Paula Oliveira, Nino Cais, Anna Bella Geiger, Celina Portella, Ana Hortides, Lara Felipe, Ana Teixeira, Vanderlei Lopes, Suzana Queiroga, Zé Carlos Garcia e Renato Bezerra de Mello ocuparão a galeria em um diálogo provocativo em torno da pergunta: Que espaços ocupamos no mundo?

De sangue e ossos
Que espaço ocupamos nesse mundo?

Que poderes tomaram de assalto a vida e penetraram todas as esferas da existência mobilizando-as inteiramente?

Mal sabemos onde está o poder e onde estamos nós. O Poder já não se exerce desde fora, de cima, mas sim como que por dentro ele pilota nossa vitalidade social. Daí a extrema dificuldade em resistir.

O corpo, que ocupa lugar nesse mundo, sofre atualmente um superinvestimento. Hoje, o eu é o corpo e a subjetividade […]