Miro Soares

Para Ler: Dica de livro por Miro Soares

“Filosofia da caixa preta. Ensaios para uma futura filosofia da fotografia”, De Vilém Flusser. Editora Annablume, 2011

Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia é um livro de Vilém Flusser – filósofo tcheco que, fugindo do nazismo, viveu no Brasil por mais de trinta anos, entre 1930 e 1964, e produziu um rico pensamento entorno das mídias e da cultura.  O livro é uma obra de referência no estudo da fotografia, escrita em 1983/1985, mas está longe de ser um livro apenas sobre fotografia.

Flusser toma a fotografia como um pretexto para investigar nossa sociedade, que ele chama de “pós-histórica”: uma sociedade marcada pela decadência do texto e pela hegemonia da imagem. Essa radical transformação, segundo o filósofo, é apenas comparável ao período na Antiguidade quando o homem passou da pré-história à fase histórica, com o surgimento da escrita. Na pós-história, a “escritura” é feita com imagens técnicas, imagens produzidas por aparelhos. O livro se propõe a investigar a natureza dessas imagens e estimular revelações sobre o que se passa no interior desses aparelhos.

Miro Soares – Artista visual e pesquisador. Doutor em Artes e Ciências da Arte e professor adjunto do Departamento de Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santo.

  • Miro Soares | 12º Festival Hors Pistes | Centro Georges Pompidou – França | 25.01.17 a 12.02.17
    Permalink Gallery

    Miro Soares | 12º Festival Hors Pistes | Centro Georges Pompidou – França | 25.01.17 a 12.02.17

Miro Soares | 12º Festival Hors Pistes | Centro Georges Pompidou – França | 25.01.17 a 12.02.17

Miro Soares começa 2017 participando de um grande evento internacional, a 12ª edição do Hors Piste, um festival de arte e de imagens em movimento que promove a experimentação de novas formas de arte, organizado pelo Centro Georges Pompidou desde 2006. O evento acontece entre os dias 25 de janeiro e 12 de fevereiro, em Paris, na França, e este ano foi intitulado Traversées, tendo o Mar e sua Travessia como guia para investigar importantes questões da atualidade.

Miro participa do Festival com seu trabalho Sea Studies , 2010-2016, vídeo instalação para três telas, obra realizada com o apoio de Fundação Bienal de São Paulo, Programa Brasil Arte Contemporânea e Ministério da Cultura do Brasil.

Conhecido por introduzir novos talentos internacionais, Hors Pistes apresenta uma seleção de obras, um espelho da singularidade dos Cinemas do Centro Pompidou, com foco na diversidade. Criado para explorar as tendências mais inovadoras e vanguardistas da criação interdisciplinar de hoje, Hors Pistes reúne arte e imagens em movimento através de projeções, instalações, performances ao vivo, conferências e workshops.

Cada ano, Hors Pistes dá a um público diverso a oportunidade de estarem imersos num universo multidisciplinar de arte e mídia, para explorar as rupturas e as mudanças que surgem nas formas contemporâneas de filmes e narrativas, e desencadeiam novas fronteiras.

  • Miro Soares | un-estable.eu | Kunsthalle Am Hamburger Platz | Berlim | Até 13 de novembro
    Permalink Gallery

    Miro Soares | un-estable.eu | Kunsthalle Am Hamburger Platz | Berlim | Até 13 de novembro

Miro Soares | un-estable.eu | Kunsthalle Am Hamburger Platz | Berlim | Até 13 de novembro

O artista Miro Soares apresenta cinco obras em exposição em Berlim, na Kunsthalle Am Hamburger Platz. A “un-stable.eu” trata-se de uma exposição coletiva que reúne artistas, pensadores e ativistas cujos trabalhos colaboram para se pensar o cenário do continente europeu atual como colocam em questão os organizadores do evento, Axel Roch and John Koster: “A Europa – seja concebida como uma entidade política, econômica ou cultural – já não pode ser tida como certa, e não apenas o seu futuro, mas também sua forma atual está em questão iminente”.

Além da exposição, os participantes são convidados a apresentar e discutir seus trabalhos na Kunsthalle Am Hamburger Platz em eventos programados de outubro até 13 de novembro. O evento conta com a colaboração da Weißensee Academy of Art Berlin.

Miro exibe na mostra uma série de três fotografias chamada ‘Geopolítica nas ruas’ e dois vídeos/instalação um de mesmo nome e outro chamado ‘Geopolítica das ruas’. Mineiro, mas radicado em Vitória, Espírito Santo, o artista trabalha na interseção dos campos da fotografia, do cinema, do vídeo e de novas mídias. Lidando com ambos os meios analógicos e digitais, seus trabalhos exploram os conceitos de mobilidade e de arte contextual. Miro é mestre em Arte Contemporânea pela Escola Superior de Arte de Grenoble e mestre em Artes e Mídias Digitais pela Universidade de Paris 1 Panthéon-Sorbonne. É doutor em Artes e Ciências da Arte pela Universidade de Paris 1 Panthéon-Sorbonne. Atualmente é professor do curso de pós-graduação em Fotografia da Universidade Vila Velha.

Seus trabalhos têm sido exibidos em exposições, festivais de cinema e festivais de arte eletrônica em diferentes países como França, Noruega, Turquia, entre outros. Miro também foi premiado pela Fundação Bienal de São Paulo, teve trabalho comissionado pelo […]

  • ArtRio 2016 | Matias Brotas arte contemporânea #10anos | STAND V3 | Pier Mauá | Rio de Janeiro - RJ | 28 de setembro a 02 de outubro
    Permalink Gallery

    ArtRio 2016 | Matias Brotas arte contemporânea #10anos | Stand V3 | Pier Mauá | Rio de Janeiro – RJ | 28 de setembro a 02 de outubro

ArtRio 2016 | Matias Brotas arte contemporânea #10anos | Stand V3 | Pier Mauá | Rio de Janeiro – RJ | 28 de setembro a 02 de outubro

Completando 10 anos em 2016, a Matias Brotas arte contemporânea se estabelece no cenário da arte contemporânea com vigor e comprometimento para fomentar a arte, incentivar a produção de jovens artistas e criar conexões entre críticos de arte, artistas, colecionadores, curadores e o público. Seu acervo é composto por artistas renomados no cenário nacional e internacional da arte contemporânea, como Manfredo de Souzanetto e José Bechara, além de investir em jovens e promissores talentos como Lara Felipe, Miro Soares, Raphael Bianco, Renata Egreja, Antonio Bokel e Mai-Britt Wolthers.

Faz parte do seu projeto curatorial exposições individuais e coletivas, possibilitando a circulação das obras de artistas consagrados, trazendo, ainda, o pensamento crítico de grandes curadores e críticos.

Entre as exposições coletivas relevantes da galeria citamos “A última Casa, a última paisagem” com curadoria de Agnaldo Farias. Entre as individuais contamos com artistas como Raphael Bianco, Paulo Vivacqua, José Bechara, Gabriela Machado e Renata Tassinari. Curadores do calibre de Waldir Barreto e Paulo Sérgio Duarte também firmaram suas assinaturas na galeria. A MBac lançou em 2013 o primeiro clube do colecionador de arte do Espírito Santo, que ruma à quarta edição, contribuindo para democratização e estimulo ao consumo de arte no Brasil.

A MBac consolida-se como expoente em arte contemporânea no Espirito Santo e a gradativa inserção no circuito de feiras visa ampliar a visibilidade dos artistas locais em âmbito nacional, bem como, promover intercâmbios, estabelecendo novas visões e possibilidades no mercado de arte.

Para a 6ª edição da ArtRio, a MBac selecionou 10 artistas para apresentarem sua produção mais recente.  Andrea Brown, Antonio Bokel, Lara Felipe, Manfredo de Souzanetto, Mai-Britt Wolthers, Raphael Bianco, Renata Egreja, Shirley Paes Leme, Suzana Queiroga e Vilar.

Andrea Brown é um dos grandes destaques do Stand. Além de fazer parte da #4edição do clube do colecionador da galeria, a […]

  • Miro Soares | 24 de abril | 1º Simpósio de Fotografia Internacional | Letônia | Matias Brotas arte contemporânea
    Permalink Gallery

    Miro Soares | 24 de abril | 1º Simpósio de Fotografia Internacional | Letônia

Miro Soares | 24 de abril | 1º Simpósio de Fotografia Internacional | Letônia

O artista Miro Soares estava entre os 11 artistas selecionados para participar do 1º Simpósio Internacional de Fotografia, como parte do programa de residência artística que ele participa ao longo do mês de abril, organizado pelo Daugavpils Mark Rothko Art Centre, na Letônia.

O Simpósio aconteceu entre os dias 17 e 24 de abril, com abertura da exposição no último dia, quando foram expostas as obras produzidas pelos 11 artistas da residência de produção fotográfica, entre eles obras de Miro.

Miro é mineiro, mas durante anos viveu entre o eixo Vitória x Paris, onde fez doutorado em Artes e Ciências das Artes na Université Paris 1 Panthéon- Sorbonne. Atualmente morando apenas em Vitória, ele já realizou diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior, e ganhou prêmios como da fundação Bienal de São Paulo, em 2011, na categoria Mostras de artistas no Exterior.

  • Miro Soares e Gabriel Menotti ministram workshop ‘ Curadoria em Super 8’ na UFES | Matias Brotas
    Permalink Gallery

    Miro Soares e Gabriel Menotti ministram workshop ‘Curadoria em Super 8’ na UFES

Miro Soares e Gabriel Menotti ministram workshop ‘Curadoria em Super 8’ na UFES

‘Curadoria em Super 8 – Filme autoral, filme de arquivo e found footage’. Este é o nome do workshop que Miro Soares e Gabriel Menotti estão ministrando na Ufes até novembro.

O workshop é voltado tanto para curadores e pesquisadores quanto artistas, cineastas, amadores e estudantes que queiram aprender e/ou aprimorar seus conhecimentos ou simplesmente trocar experiências sobre o processo de curadoria em super 8, em seus vários aspectos incluindo sua relação com a descoberta, a conservação, a catalogação e a difusão de filmes.

Baseado na ideia de “aprender fazendo”, esse workshop visa desenvolver um trabalho colaborativo em que cada participante é convidado a criar uma programação de cinema a partir de um acervo de filmes Super 8 do seu interesse.

O Super 8 é um formato cinematográfico pequeno e econômico introduzido pela Kodak no mercado doméstico nos anos 1960. Entretanto, o seu uso não se restringiu ao público amador: durante décadas, o Super 8 foi amplamente utilizado para produções de documentários e de cinemas independentes e experimentais. Dessa forma, o formato se consolidou como a base de uma produção audiovisual inventiva que desenvolveu seus próprios gêneros, procedimentos e estéticas.

A obsolescência tecnológica torna o engajamento com acervos Super 8 relativamente complicado, uma vez que dificulta o acesso aos meios adequados para a difusão do formato. Operando nesse contexto adverso, a curadoria cinematográfica precisa ir além da seleção de títulos para uma exibição. Por vezes, o curador precisa fazer o trabalho de garimpeiro de película e de técnico de projeção, lançando mão de expedientes que não emprega usualmente. Diante dessa realidade, o workshop busca explorar formas de pesquisa e levantamento de material para exibição e métodos para a manutenção e operação de projetores.

Segundo Miro e Gabriel, o […]

  • Miro Soares apresenta sessão de vídeos na cinemateca do MAM-RJ | Matias Brotas
    Permalink Gallery

    Miro Soares apresenta sessão de vídeos na cinemateca do MAM-RJ

Miro Soares apresenta sessão de vídeos na cinemateca do MAM-RJ

O artista mineiro Miro Soares, radicado em Vitória, Espírito Santo, que transita pela fotografia, vídeo e cinema, vai apresentar um pouco do seu trabalho no segmento de instalação de vídeos em uma sessão especial na cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAM-RJ, no dia 08 de setembro. Serão apresentados cinco vídeos dedicados que artista gravou em suas andanças por outros países. Logo após a sessão, haverá debate do artista com os telespectadores.

Os filmes são: ‘Cartografias nos mares’, ‘Geopolítica nas ruas’, ‘Linhas vermelhas’, ‘Estudo para marinhas’ e ‘Primeiras impressões de uma cidade’.

O vídeo ‘Cartografias nos mares’ foi gravado na Noruega, em 2009, e é um vídeo em que um mapa é visto flutuando no mar. A câmera é silenciosa e apresenta uma vista perpendicular a partir de cima. O mapa, flutuante , move-se continuamente no quadro. O ritmo do movimento é determinado por ondas pequenas.

Já o ‘Geopolítica nas ruas’ trata-se de um vídeo curto, realizado em Sarajevo em 2013. Nele o artista realiza uma ação de riscar, com giz, fissuras que ele identifica no chão da rua. O trabalho relaciona as formas das fissuras do chão com as formas de mapas geopolíticos revisitando assim o contexto histórico e geopolítico da região.

O vídeo ‘Linhas vermelhas’ gravado na região de Olando kepuré, na Lituânia, em 2010, é um vídeo composta por três TVs, em ângulo diferentes como chão e parede. A obra de arte põe em foco o homem e a natureza, que se situa entre o contexto de instalações e  performances , mas é tão relacionado ao desenho e pintura histórica. Ele está situado entre as margens de ficção, de ações artísticas e da vida cotidiana.

O filme ‘Estudo para marinhas’ é uma […]