Shirley Paes Leme

  • Artistas MBac | Instituto Figueiredo Ferraz 2018 | 10.03.18 a 15.12.18
    Permalink Gallery

    Artistas MBac | Instituto Figueiredo Ferraz 2018 | 10.03.18 a 15.12.18

Artistas MBac | Instituto Figueiredo Ferraz 2018 | 10.03.18 a 15.12.18

José Bechara, Ana Paula Oliveira, Vanderlei Lopes, Shirley Paes Leme, Nuno Ramos, Renan Cepeda, são alguns dos artistas representando pela galeria Matias Brotas arte contemporânea selecionados para a exposição IFF 2018, Instituto Figueiredo Ferraz, em Ribeirão Preto, São Paulo, que traz um recorte da coleção do João Figueiredo Ferraz e Dulce Ferraz.

A mostra desse ano partiu de duas premissas: mostrar as aquisições mais recentes da Coleção Figueiredo Ferraz e privilegiar aqueles trabalhos que nunca ou poucas vezes foram mostrados. Portanto, a #IFF2018 não aborda um tema ou uma questão específica, mas indica várias possibilidades e caminhos que a produção contemporânea oferece, a partir do olhar do colecionador e pensada por um colecionador. A exposição segue para visitação até dezembro com entrada franca.

A mostra deste ano foi concebida em pequenos grupos a partir de afinidades formais, temáticas, técnicas, ou ainda poéticas entre as obras. Organizados por salas ou paredes, esses grupos propõem alguns entre os inúmeros diálogos possíveis desta seleção, que abrange apenas um percentual de toda coleção.
Algumas obras foram remontadas como as instalações A Espera, de Gisela Motta e Leandro Lima, e Metade da Fala no Chão – Piano Surdo, de Tatiana Blass (apresentada pela primeira vez na 29ª Bienal Internacional de São Paulo), muito apreciadas quando expostas anteriormente no IFF, além dos trabalhos em exposição permanente de Iole de Freitas e Marcius Galan.

Um dos trabalhos em destaque também é de Ana Paula Oliveira, a obra ‘Vai que Vai’, 2015, um vídeo instalação em dois canais que é impossível virar o olhar e admirar fixamente a integrante obra.

Veja vídeo da obra da artista:

  • Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18
    Permalink Gallery

    Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18

Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18

MBac coloca o acervo em exposição com novos artistas e visitas guiadas

A Matias Brotas arte contemporânea chega ao fim de 2017 ampliando ainda mais a experiência do colecionador com a arte contemporânea e coloca parte do seu acervo em exposição. A mostra traz cerca de 20 obras de artes entre pinturas, esculturas, fotografia e outros suportes artísticos de nomes como José Bechara, Antonio Bokel, Mai-Britt Wolthers, Andrea Brown, Shirley Paes Leme, José Spaniol, Suzana Queiroga, Lara Felipe, Raphael Bianco, além dos novos artistas Matias Mesquita e Ana Paula Oliveira, compõem a mostra do acervo. A exposição do acervo pode ser visitada até 10 de fevereiro.
Diferente dos outros anos, nesta exposição, o visitante pode vivenciar uma experiência única, pois as visitas são agendadas e guiadas, ou seja, será uma viagem pelo acervo, com um guia falando sobre cada obra, a história e carreira de cada artista que compõe a mostra.

Uma das obras em destaque na exposição é a ‘Contenção em Bloco’ de Matias Mesquita, novo artista que passa a fazer parte do portfólio da Matias Brotas. É uma obra híbrida de caráter pictórica e escultural, onde a imagem funde-se a materialidade da peça, num aparente contraste que funciona como complemento simbólico. Imagens realistas de céus e nuvens são pintadas sobre placas de concreto de diferentes tamanhos e formas.  A representação fiel de fotografias tomadas pelo artista do céu de Brasília, com sua característica luminosidade e arquitetura de nuvens, ao ser registrada em material tão alheio às tradições artísticas, mas tão presente à vida urbana, gera uma situação de estranheza e fria sedução. Esse instante efêmero, capturado e reproduzido pictoricamente, parece fixado, preso no concreto, como um lembrete de sua beleza frágil, de sua provisória memória […]

  • Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18
    Permalink Gallery

    Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18

Exposição do Acervo | Matias Brotas arte contemporânea | 08.12.17 a 10.02.18

Matias Brotas abre exposição do acervo com novos artistas e visitas guiadas para ampliar a experiência com a arte

Matias Mesquita e Ana Paula Oliveira passam a integrar o time da galeria que já conta com nomes como José Bechara, Antonio Bokel, Mai-Britt Wolthers, Andrea Brown, Shirley Paes Leme, José Spaniol. A Mostra abre no dia 08 de dezembro e segue para visitação até 10 de fevereiro de 2018.

Uma vez por ano a Matias Brotas arte contemporânea coloca seu acervo em exposição com o objetivo de levar novas experiências aos colecionadores e apreciadores da arte, reunindo obras de seu time de artistas. Nomes como José Bechara, Antonio Bokel, Mai-Britt Wolthers, Andrea Brown, Shirley Paes Leme, José Spaniol, Suzana Queiroga, Lara Felipe, Raphael Bianco, além dos novos artistas Matias Mesquita e Ana Paula Oliveira, compõem a mostra do acervo, com mais de 20 obras de diferentes suportes, da pintura à escultura, fotografia. A exposição abre ao público no dia 08 de dezembro e segue até 10 de fevereiro de 2018. 
Diferente dos outros anos, nesta exposição, o visitante vivenciará uma experiência única, pois as visitas serão agendadas e guiadas, ou seja, será uma viagem pelo acervo, com um guia falando sobre cada obra, a história e carreira de cada artista que compõe a mostra. Segundo a galerista Lara Brotas, essa ideia das visitas agendadas busca oferecer ao colecionador ou quem deseja iniciar no colecionismo, uma experiência maior com a arte contemporânea e um conhecimento mais profundo sobre cada obra, a técnica artística e sobre o seu criador.

Uma das obras em destaque na exposição é a ‘Contenção em Bloco’ de Matias Mesquita, novo artista que passa a fazer parte do portfólio da Matias Brotas. É uma obra híbrida […]

  • José Bechara, Antonio Bokel, Celina Portella, Julio Tigre, Suzana Queiroga, Raphael Bianco, Shirley Paes Leme, Mai-Britt Wolthers, Manfredo de Souzanetto| Casa Cor| Porto de Vitória| Vitória – Espírito Santo| 11.10.17 a 29.11.17
    Permalink Gallery

    José Bechara, Antonio Bokel, Celina Portella, Julio Tigre, Suzana Queiroga, Raphael Bianco, Shirley Paes Leme, Mai-Britt Wolthers, Manfredo de Souzanetto| Casa Cor| Porto de Vitória| Vitória – Espírito Santo| 11.10.17 a 29.11.17

José Bechara, Antonio Bokel, Celina Portella, Julio Tigre, Suzana Queiroga, Raphael Bianco, Shirley Paes Leme, Mai-Britt Wolthers, Manfredo de Souzanetto| Casa Cor| Porto de Vitória| Vitória – Espírito Santo| 11.10.17 a 29.11.17

José Bechara, Antonio Bokel, Celina Portella, Julio Tigre, Suzana Queiroga, Raphael Bianco, Shirley Paes Leme, Mai-Britt Wolthers, Manfredo de Souzanetto, são alguns dos artistas com obras selecionadas pela Matias Brotas arte contemporânea para a CasaCor ES, que acontece no Porto de Vitória. 
Suzana Queiroga expõe a instalação “Cidades-Nuvem”, feita exclusivamente para o ambiente “Casa Galeria”, das arquitetas Juliana Vervloet do Amaral e Roberta Toledo. Pairando no ar, a obra flutua como uma grande água viva, ora se camuflando com o fundo branco, ora se distinguindo do fundo azul, remetendo ao infinito.

Outra presença marcante neste mesmo ambiente é a vídeo instalação “Movimento²”, de Celina Portella, artista que este ano foi indicada pela segunda vez ao Prêmio Pipa. A obra, composta por um conjunto de 5 vídeo-objetos, traz mecanismos que movem telas de TV em sincronia com suas imagens. Na concepção da artista “a imagem do corpo aparece contida no quadro da tela, se relacionando com seus limites como se fossem limites reais do espaço em que se insere”. O projeto Movimento² foi desenvolvido na residência LABMIS 2010, no Museu da Imagem e do Som em São Paulo e remontado em 2014 através do I Programa de Fomento à Cultura Carioca em Artes Visuais. Na “Casa Galeria”, o público poderá conferir os “vídeos-objetos” 1, 2 e 3, nos quais as telas são fixas e a relação com o espaço se difere pela variação das dimensões do corpo contido no frame ideográfico.

Também é possível apreciar neste ambiente, a escultura “Descanso da sala” de José Spaniol, uma cadeira em madeira (400cm x 40cm x 45cm) que tem como características a duplicação, verticalidade e elevação, como se ganhasse vida própria. “Como numa revolta contra o mundo habitual que vemos todos os dias”, descreve o crítico de arte Agnaldo Farias.

Um quadro da série Luzes, de Raphael Bianco, único disponível, também pode ser apreciado. Ele […]

  • Shirley Paes Leme e José Bechara | 1ª BienalSur | Centro Cultural Kirchner –CCK | Buenos Aires - Argentina | setembro a dezembro de 2017 | Matias Brotas
    Permalink Gallery

    Shirley Paes Leme e José Bechara | 1ª BienalSur | Centro Cultural Kirchner –CCK | Buenos Aires – Argentina | setembro a dezembro de 2017

Shirley Paes Leme e José Bechara | 1ª BienalSur | Centro Cultural Kirchner –CCK | Buenos Aires – Argentina | setembro a dezembro de 2017

Shirley Paes Leme e José Bechara são um dos artistas brasileiros que participam da Bienalsur, primeira Bienal Internacional de Arte Contemporânea da América do Sul. Bechara apresenta sua obra “Nuvem para Meia Altura”, na Universidad Nacional de Tres de Febrero – UNTREF, em Buenos Aires, Argentina, uma instalação que utiliza vidros e traz uma espécie de nuvem feita de papel glissini amassado.

Já Shirley, convidada a participar da Bienal, expõe sua instalação ‘Viva Agua Vida’ no Centro Cultural Néstor Kirchner –CCK, em Buenos Aires, Argentina, o maior centro cultural da América Latina e o terceiro maior do mundo. A instalação faz referência à política de imigração da Argentina, ao edifício onde encontra-se o Centro Cultural Kirchner, e à disponibilidade de água potável no mundo.

A Argentina sempre teve, tradicionalmente, uma política aberta à recepção e acolhimento de imigrantes. Tanto é assim que, em 1914, mais de 60% da população de Buenos Aires era composta de imigrantes. O atual presidente Maurício Macri mudou isto radicalmente, assinando em 30 de janeiro de 2017 um decreto que altera a lei de imigração do país, colocando pesadas restrições à entrada de estrangeiros.

O prédio do Centro Cultural está localizado próximo ao porto, em um local onde antes havia um pântano, que foi aterrado com a expansão da cidade no século XIX no início do fluxo imigratório. Esse procedimento causou grande interferência no ecossistema da área, afetando a disponibilidade de águas subterrâneas.

Na instalação VIVA AGUA VIDA, o piso da galeria recebeu um espelho em toda a sua extensão e foram colocadas no teto 56 lâmpadas de neon contendo a palavra AGUA escrita de forma invertida nos 56 idiomas diferentes que eram falados pelos imigrantes originalmente.
O piso espelhado relembra a superfície de um […]

  • Shirley Paes Leme, Robert Smithson, Olafur Eliasson, Joseph Beuys... | ‘Ejemplos a seguir’ | Parque Cultural de Valparaiso | Chile | Até 13 de agosto
    Permalink Gallery

    Shirley Paes Leme, Robert Smithson, Olafur Eliasson, Joseph Beuys… | ‘Ejemplos a seguir’ | Parque Cultural de Valparaiso | Chile | Até 13 de agosto

Shirley Paes Leme, Robert Smithson, Olafur Eliasson, Joseph Beuys… | ‘Ejemplos a seguir’ | Parque Cultural de Valparaiso | Chile | Até 13 de agosto

Ao lado de artistas como Robert Smithson, Olafur Eliasson, Joseph Beuys, Pedro Reyes, dentre outros, a artista Shirley Paes Leme está em exposição no parque cultural de Valparaiso, Chile. A mostra ‘Ejemplos a seguir’, reúne mais de 60 obras de ativistas artistas visuais. Desde 2010 este projeto tem sido apresentado em 15 cidades como Berlim, Bremem e Hamburgo (Alemanha), assim como Mumbai (Índia), Addis Abeba (Etiópia), Pequim (China), São Paulo (Brasil), Puebla (México) e Lima (Peru), e agora faz parada no Parque Cultural de Valparaíso, no Chile.

O projeto ‘Ejemplos a seguir!’ foi idealizado pelo curador e ex-secretário de cultura de Berlim, Adrienne Goehler, que colecionava obras de mais de 60 artistas de diferentes partes do mundo. No Chile, além de sua curaodria, a expoisção conta com co-curadoria de Rodolfo Andaur e coordenação de Sonja Linke.
 
O objetivo da mostra é promover de forma inovadora um intercâmbio de experiências entre arte, política e sustentabilidade. Integrando a comunidade e com a participação de diversos países, que, a partir de suas visões de mundo, discutem a construção de caminhos possíveis para enfrentar os desafios da mudança climática e alcançar modelos sustentáveis de viver no mundo. A mostra convida o público a pensar e agir criativamente para uma sociedade sustentável.
 
As obras em exposição tratam de temáticas como as reservas de energia, as mudanças climáticas e a diminuição da biodiversidade no planeta. Além disso, são diversos suportes artísticos, de instalações, fotografias e performances que pretendem contribuir para a preservação do planeta e influenciar comportamentos de consumo para a sustentabilidade.
 
A exposição conta com os artistas: Marc Aldinger, Ravi Argawal, Jennifer Allora, Guillermo Calzadilla, Francis Alÿs, Artist Col-lective SCHAUM, Néle Azevedo, Joseph Beuys, Richard Box, Jens Burde, Ines Doujak, Olafur Eliasson, Frederik Ottensen, Emine Ercihan, […]

  • Modos de Ver o Brasil | Itaú Cultural | Parque Ibirapuera – SP | até 13 de agosto | José Bechara & Shirley Paes Leme
    Permalink Gallery

    Modos de Ver o Brasil | Itaú Cultural | Parque Ibirapuera – SP | até 13 de agosto | José Bechara & Shirley Paes Leme

Modos de Ver o Brasil | Itaú Cultural | Parque Ibirapuera – SP | até 13 de agosto | José Bechara & Shirley Paes Leme

No ano em que completa 30 anos, o Itaú Cultural convida para uma imersão no Acervo de Obras de Arte do Itaú Unibanco, inspirado por percursos que remetem à diversidade da sociedade brasileira e de suas linguagens artísticas. A exposição ‘Modos de Ver o Brasil: Itaú Cultural 30 Anos’ é um mergulho por aproximadamente 800 obras, que estão expostas na Oca, Portão 3, no Parque Ibirapuera, em São Pau­lo, em abordagens históricas, identitárias, estéticas.
 
Para a curadoria – realizada em parceria com as áreas do instituto –, foi convidado Paulo Herkenhoff, que agregou ao projeto Thais Rivitti e Leno Veras. A seleção construída por esse grupo dispõe, nos quatro andares da Oca, as obras seguindo a ideia de constelação: pela proximidade, diálogos entre artistas, temas e momentos históricos são criados, sem que haja um percurso único. Vários sentidos podem ser percorridos pelo visitante.

A expografia – criada pela equipe de Álvaro Razuk – acompanha essa orientação e dispõe as obras em um modelo radial, que dá uma visão de conjunto de cada andar e só sugere caminhos e seções, sem delimitar o acesso.

As peças foram organizadas em 20 núcleos espalhados pelos quatro andares do edifício, projetado pelo renomado Oscar Niemeyer. Cada piso tem uma organização temática por período: no térreo estão “São Paulo” e “De memória e matéria”; no subsolo fica “Da numismática à cibernética”; no primeiro andar, “Expressão e racionalidade”; e no segundo andar, “Uma invenção simbólica do Brasil: África e barroco”.

A mostra, que fica aberta para visitação gratuita até o dia 13 de agosto, conta com a presença de diversos artistas como Alfredo Volpi, Cildo Meirelles, Louise Bourgeois, além de José Bechara e Shirley Paes Leme, ambos do portfólio da Matias Brotas arte contemporânea. Uma […]

  • Shirley Paes Leme | O Útero do Mundo | MAM-SP | Até 18 de dezembro
    Permalink Gallery

    Shirley Paes Leme | O Útero do Mundo | MAM-SP | Até 18 de dezembro

Shirley Paes Leme | O Útero do Mundo | MAM-SP | Até 18 de dezembro

Aberta no MAM-SP (Museu de Arte Moderna de São Paulo), a exposição ‘O útero do mundo’ coloca em destaque cerca de 280 obras de 120 artistas contemporâneos que mostram em seu trabalho as diversas facetas do corpo e suas metamorfoses, oras transformado, fragmentado, deformado, sem contorno ou definição. A artista Shirley Paes Leme, que recentemente esteve com uma de suas obras no stand da Matias Brotas arte contemporânea dentro da ArtRo Fair, foi uma das artistas selecionadas diante de um universo de mais de cinco mil trabalhos da coleção do museu.

As obras foram selecionados pela escritora e crítica de arte Veronica Stigger. São pinturas, desenhos, fotografias, esculturas, gravuras, vídeos e performances do acervo do museu de nomes, não necessariamente só de artistas mulheres, mas de grandes nomes da arte contemporânea. Entre eles: Lívio Abramo, Farnese de Andrade, Claudia Andujar, Flávio de Carvalho, Sandra Cinto, Antonio Dias, Hudinilson Jr., Almir Mavignier, Cildo Meireles, Vik Muniz, Mira Schendel, Tunga e Adriana Varejão.

A apurada seleção da curadora faz um elogio à loucura, ilustrando esse “corpo indomável” que, embora reprimido pela humanidade, manifesta-se no descontrole, na histeria e na impulsividade. Para organizar a exposição, a curadora recorreu a três conceitos extraídos da obra da escritora Clarice Lispector que servem como fios condutores que separam os trabalhos nos núcleos Grito ancestral, Montagem humana e Vida primária.

  • Shirley Paes Leme | Estratégias de Sobrevivência | Arte Hall | São Paulo | Até 14 de outubro
    Permalink Gallery

    Shirley Paes Leme | Estratégias de Sobrevivência | Arte Hall | São Paulo | Até 14 de outubro

Shirley Paes Leme | Estratégias de Sobrevivência | Arte Hall | São Paulo | Até 14 de outubro

Convidada pela Arte Hall (SP) a realizar uma mostra individual site specific, a artista Shirley Paes Leme apresenta a mostra Estratégias de Sobrevivência.

Com curadoria de Maria de Fátima Lambert e em exposição até o dia 14 de outubro, o ouro é o grande destaque da mostra. O ouro está em todas as partes e em parte nenhuma. Andando pela cidade se veem cartazes impressos COMPRO OURO, VENDO OURO; usamos no dia a dia diversas expressões que fazem referência ao ouro. Assim, podemos ter a impressão de que o ouro é algo abundante mas na realidade o que ocorre é o oposto disto.

O ouro foi, durante séculos, o símbolo máximo de riqueza, fortuna, opulência e valor. Incontáveis esforços se fizeram, grandes aventuras e tragédias tiveram lugar na busca por ouro. Tramas, estratégias, e artimanhas de todo tipo foram usadas para se ter acesso ao valioso metal, principalmente no Brasil.

A artista tem a arquitetura, heterotopia, luz, palavra, acúmulo, resíduo e repetição como elementos recorrentes nas instalações desde os anos 80. Vários destes elementos estão presentes na conceituação nesta instalação.

Estratégias de Sobrevivência de Shirley Paes Leme
Curadoria: Maria de Fátima Lambert
Abertura: 02 de setembro, das 18h às 22h
Exposição: 03 de setembro a 14 de outubro
Local: Arte Hall. Rua Cônego Eugénio de Lima, 240, Jd. América, São Paulo, SP

  • Shirley Paes Leme | 23 de março | ‘Parênteses: ( )’ | Porto Alegre | RS | Matias Brotas
    Permalink Gallery

    Shirley Paes Leme | 23 de março | ‘Parênteses: ( )’ | Porto Alegre | RS

Shirley Paes Leme | 23 de março | ‘Parênteses: ( )’ | Porto Alegre | RS

No dia 23 de março, a artista Shirley Paes Leme abre sua individual ‘Parênteses: ( )’ na Galeria Bolsa de Arte de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, apresentando 8 desenhos de fumaça sobre tela, objetos e esculturas de que utilizam o livro como material construtivo.

A mostra é um trabalho com uma relação direta a grande exposição When attitudes (trans) form curado por Cauê Alves no Centro Cultural Minas em Belo Horizonte, Minas Gerais, que ficou em cartaz de 11 agosto a 12 outubro de 2015. O título parafraseia a famosa exposição de arte conceitual curada por Harald Szeemann, When Attitudes Become Form, que em 1969 introduziu uma nova forma desmaterializada de trabalho de arte, onde o ato ou o processo de criação era tomado como a própria obra de arte.

A artista paulista Shirley Paes Leme é representada no Espírito Santo pela Matias Brotas arte contemporânea, aliás, além de obras no acervo da galeria, Shirley também participou da 2ª edição do Clube do Colecionador com a serigrafia sobre papel espelhado chamada “Eu quero fluxo”.

Parênteses: ( )
Artista: Shirley Paes Leme
Abertura:23 de março, as 19h00
Exposição: 24 de março a 15 de maio 2016
Galeria Bolsa de Arte
Endereço: Rua Visconde do Rio Branco, 365, Porto Alegre.
www.bolsadearte.com.br