Encontros

  • Lando
    Permalink Gallery

    Artista visual Lando Participa pela 7ª vez do projeto Arte na Esfera Pública

Artista visual Lando Participa pela 7ª vez do projeto Arte na Esfera Pública

Um processo fotográfico, feito com uma câmera de telemóvel, após ter a própria sombra projetada sobre superfícies variadas capturadas em viagens e grandes centros urbanos, em pequenas vilas, áreas rurais e litorâneas no Brasil e no exterior. Esse é o destaque da série “Desvio Pela Sombra”, que reúne autorretratos com projeções da própria sombra do artista visual Orlando da Rosa Farya, o Lando, feita para o projeto Arte na Esfera Pública.

As exposições acontecem em Lisboa, Paris e Lodz (Polônia). Além dessas cidades, já aconteceram exposições em Marselha, Vitória e na Nova Zelândia. O projeto ocorre anualmente e reúne artistas de vários países. Paralelamente às mostras acontecem ciclos de conferências e o lançamento do livro catálogo com os textos apresentados e as respectivas obras expostas.

Vale a visita:

Lisboa
Museu Arqueológico do Carmo
De 4 a 30 de março

Lodz
Galeria Aula, The Strzeminski
De 10 a 30 demarço

Paris
Sala Fernando Pessoa, Casa de Portugal
De 16 a 31 de maio

Ana Paula Oliveira apresenta trabalhos inéditos no Rio

No dia 15 de fevereiro de 2020 o Museu de Arte Moderna do Rio recebeu a exposição “Poça/Possa”, de Ana Paula Oliveira, com curadoria de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes. Pensada especialmente para ocupar o Salão Monumental do Museu, a mostra individual exibibe dois trabalhos inéditos da mineira radicada em São Paulo, que pela primeira vez tem suas obras expostas no Rio.

A artista não esconde o entusiasmo. “Quero questionar o que nos sustenta, no tempo e no espaço. A possibilidade de criar leveza ou densidade, de explorar o cheio e o vazio são disparadores não excludentes que sempre me provocaram”, admite Ana Paula.

Ao longo de pouco mais de duas décadas, a artista vem construindo uma produção interessada em discutir questões caras ao pensamento escultórico. Peso, estrutura, equilíbrio, massa, a relação com o espaço e com a arquitetura, além da presença física do espectador, são alguns dos princípios que norteiam o uso de materiais tão comuns quanto inusitados. Graxa, mármore, dormentes, pedras, vidro, chumbo, sacos plásticos, peixes, casulos e borboletas, placas de ferro, borracha e sabão compõem o repertório visual de Ana Paula.

As obras inéditas

No espaço dedicado à individual, o Salão Monumental do MAM, dois trabalhos inéditos serão exibidos, Poça/Possa e Subserviência. A intervenção que dá nome à exposição, Poça/Possa, se espalha pelo chão do museu. O trabalho se estrutura a partir de quase 40 dormentes de madeira, desses usados como estacas improvisadas que escoram construções condenadas, prestes a ruir. Apoiados nas paredes e no chão, pressionam placas de vidro (de dois metros de comprimento), umas contra as outras, formando grandes poças de graxa. Materiais e ferramentas como borracha, sargentos, cunhas, argila e cabos de aço oferecem sustentação ao vidro diante da pressão de […]

Programe-se: MBac lança sua agenda de cursos para o 1º semestre de 2020

Fomentar a produção e a comunicação artística de um modo geral a partir de práticas inovadoras. Essa é a linha de trabalho da Matias Brotas Arte Contemporânea, uma galeria visionária que, além de acompanhar de perto a trajetória de seus artistas e oferecer apoio irrestrito ao seu processo de criação, se destaca por desempenhar um papel crucial na formação em arte.

Para tanto, desenvolve um ciclo de cursos em estreita colaboração com seus artistas. Veja a agenda para o primeiro semestre de 2020 e se inscreva!

– 8, 15, 22 e 29 de abril de 2020

Curso com o tema ‘O que é arte?’, ministrado pelo professor e artista Lincoln Dias.

Sobre Lincoln G. Dias: é artista visual e doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Participou de exposições em instituições como Museu de Arte de Santa Catarina, Museu Nacional de Belas Artes, Itaú Galeria, Galeria de Arte e Pesquisa da UFES e Matias Brotas Arte Contemporânea. É professor de Pintura do Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo, onde coordena o Ateliê Práticas e Processos da Pintura.

– Maio de 2020

Viagem de imersão à Usina de Arte e visita ao Ateliê do artista José Rufino, em Recife

Sobre a Usina de Arte: a área da Usina Santa Terezinha, desativada há décadas após a decadência da monocultura canavieira, agora dá espaço à Usina de Arte, um ambiente que agora mói arte contemporânea conjugada com sustentabilidade botânica. Ela está localizada no município de Água Preta, a 130 km do Recife.

Programe-se!

Vagas limitadas

  • Clube do Colecionador_Artista Lando I S Título
    Permalink Gallery

    Matias Brotas inaugura primeira exposição do Clube do Colecionador em que 19 artistas expõem obras inéditas e exclusivas

Matias Brotas inaugura primeira exposição do Clube do Colecionador em que 19 artistas expõem obras inéditas e exclusivas

Pela primeira vez reunidos, Adriana Vignoli, Amália Giacomini, Ana Paula Oliveira, Fernando Augusto, José Rufino, José Spaniol, Lando, Lara Felipe, LincoIn Dias, Mai-Britt Wolthers, Marcelo Solá, Matias Mesquita, Omar Salomão, Renata Egreja, Ricardo Becker, Rosana Paste, Suzana Queiroga, Thainan Castro e Vilar apresentam trabalhos inéditos e exclusivos em exposição na Matias Brotas Arte Contemporânea, a partir do dia 5 de dezembro. A mostra reúne esculturas, pinturas, gravuras, instalações, entre outros trabalhos.

Colecionador e curador

A exposição marca o início de um novo formato do Clube do Colecionador, que agrega o predicado ‘Séries Exclusivas’, propondo o colecionador como curador da sua própria coleção.

Um colecionador é, por natureza, um acumulador apaixonado e interessado em arte, que com o passar do tempo cria um acervo e se envolve com seus objetos de desejo, criando um repertório pessoal e deixando de ser um simples espectador, para assumir uma postura ativa dentro desse universo.

Segundo a galerista Lara Brotas, as ‘Séries Exclusivas’ propõem o colecionador como curador, na medida em que as escolhas partem da sua autonomia em estabelecer conexões singulares com o mundo da arte contemporânea.

“Ao estimular a curadoria da própria coleção, mantemos nosso compromisso de acender no público o universo sensível da natureza humana, tão peculiar no encontro com a arte”, enfatiza.

Serviço:

Período: 5 de dezembro a 21 de fevereiro de 2020

Horário de visitação: de segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e aos sábados com agendamento

Local: Galeria Matias Brotas, localizada na Av. Carlos Gomes de Sá, 130, Mata da Praia

Contato: (27) 3327-6966 | (27) 99933-8172

Programação de abertura no dia 5 de dezembro:

9h30: Welcome Coffee

10h: Bate-papo com Nei Vargas (UFRGS) e Almerinda Lopes (UFES)

15h às 17h: Encontro com os artistas

17h às 20h: Vernissage

  • Cyber_Dança_Matias Brotas 1
    Permalink Gallery

    Matias Brotas recebe ‘Cyber’, um espetáculo de dança contemporânea

Matias Brotas recebe ‘Cyber’, um espetáculo de dança contemporânea

 

A Matias Brotas arte contemporânea recebe, de 21 a 24 de outubro, ‘Cyber’. É um trabalho de dança contemporânea proposto por Gabriela Moriondo, contemplado no Edital Setorial de Dança da Secult, com duração de 50 minutos.

Com dois artistas em cena, Maicom Souza e Gabriela Moriondo, a poética do espetáculo se desdobra numa pesquisa que tem como ponto de partida as provocações/reflexões que Donna Haraway traz em seu livro “Antropologia do ciborgue” na relação entre corpo e tecnologia.

O trabalho propõe o corpo do bailarino somado as premissas antropológicas de Haraway e investiga como isto pode se transformar em 4 cenas de partituras coreográficas através do uso de tecnologias que possibilitam que os movimentos dos bailarinos desafiem a gravidade.

Sobre Gabriela

Gabriela é capixaba, formada em Dança Contemporânea na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (2014), especializada em Estudos de Dança no Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance (2016); Qualificada em Performance de Dança Contemporânea (ATCL) pelo Trinity College London (2016); estudante de Artes Plásticas na Universidade Federal do Espírito Santo, e atua como bailarina, instrutora, coreógrafa e produtora cultural independente no Espírito Santo.

Programe-se:

‘Cyber’

21/10: Ensaio aberto às 17h

22/10: Apresentações às 10h30 e às 17h

23/10: Apresentação às 17h

24/10: Apresentações às 10h30 e às 17h

24/10: Roda de conversa às 18h

Local: Matias Brotas Arte Contemporânea- Av. Carlos Gomes de Sá, 130 – Mata da Praia, Vitória – ES.

  • Antonio Bokel_Artista_Prêmio Pipa
    Permalink Gallery

    Antonio Bokel figura na lista do Prêmio Pipa, o mais relevante prêmio brasileiro de artes visuais

Antonio Bokel figura na lista do Prêmio Pipa, o mais relevante prêmio brasileiro de artes visuais

Entre os 76 artistas indicados para a edição de 2019 do Prêmio Pipa está Antonio Bokel.

Ao longo das duas últimas décadas, Bokel tem apresentado seu trabalho no Brasil e no exterior; em galerias e em intervenções urbanas, fazendo a ponte entre a arte de rua e a arte contemporânea.

“A pintura é a minha base, é onde eu tenho mais presença. Os outros trabalhos são um complemento que me ajudam até mesmo na pintura. Mas eu misturo tudo, pois às vezes eu fotografo e transformo em serigrafia e a serigrafia vai parar na tela. Tem obras que eu deixo fluir a intuição e existem outras que são mais pensadas, obras que faço para o próprio espectador pensar”, ressalta o artista.

Criado em 2010, o Pipa tem como objetivo estimular a produção nacional de arte contemporânea, divulgando e apoiando novos artistas brasileiros.

Conheça um pouco do artista:

A trajetória do trabalho de Bokel, formou, em poucos anos de investigação pictórica; à criação de um mundo de signos próprios, que relacionam-se entre si pelo total despreconceito tipológico.

O traço culto convive com símbolos gráficos primários de forma a complementá-los ora de forma crítica; ora envoltos em harmonias desconcertantes que amplificam suas intenções, criando então a complexidade que sua obra encerra.

Talvez não haja na expressão contemporânea, uma arte mais universal que a arte que nasce do olhar da rua.

O grafite, que serve de pilar a arte de Bokel; está ligado a um modo de pensar urbano por excelência em todas as suas formas de apresentação e esta sensibilidade comum.

Faz com que possamos reconhecer os mesmos símbolos, sejam nos viadutos de SP, nos muros de Zagreb, nos subúrbios de Budapeste ou Paris.

Esta extensão temática entretanto, proporciona uma standartização que dilui o gênese libertário […]

  • Andre Andrade e Andrea Brown
    Permalink Andre Andrade e Andrea BrownGallery

    Galeria Matias Brotas recebe exposição ‘Paisagens do Antropoceno’

Galeria Matias Brotas recebe exposição ‘Paisagens do Antropoceno’

Até 3 de maio a galeria Matias Brotas Arte Contemporânea apresenta a exposição Paisagens do Antropoceno com 20 obras dos artistas cariocas Andrea Brown e André Andrade.

A mostra traz obras geométricas e pinturas produzidas a partir das perspectivas de imagens desconstruídas pela lente do antropoceno, em que as atividades humanas começaram a ter um impacto nas paisagens e na natureza. Nessa realidade, não existe paisagem natural, já que toda ela passa a derivar de uma construção humana.

A artista Andrea Brown olha com sutileza, para a cidade, para o ambiente urbano e construído. A partir de construções geométricas regulares, a artista evoca elementos que remetem diretamente ao interior das casas: cobogós, pisos, janelas, escadas – um dos poucos recintos do antropoceno no qual a escala humana ainda persiste, carregando consigo memórias, afetos, sensibilidades e individualidades.

Já as pinturas de André Andrade se refletem e se distorcem na água, explorando dois gêneros tradicionais da pintura: o retrato e a paisagem. No entanto, para ele não interessam imagens e paisagens que já vêm prontas, “o objetivo é compreender os fatos e as causas que concorreram para a formação e o caráter construtivo e ilusório das mesmas. Sou cativado pelo reflexo, pelo fragmento, por aquilo que possa vir a ser, mas ainda não é ou não foi” destaca o artista André Andrade.

Se paisagem é algo construído, o artista mostra por meio das suas obras que ela também pode ser desconstrução. Cada obra foi gerada pelo artista, alimentada de suas observações e nasceu delicadamente em forma de arte.

Serviço:

“Incertezas Amanhecem”

Data: 28 de março a 3 de maio

Local: Galeria de Artes Matias Brotas, localizada na Av. Carlos Gomes de Sá, número 130, Mata da Praia

Horário de visitação: de segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e aos sábados com agendamento

 

  • Suzana Queiroga
    Permalink Suzana QueirogaGallery

    Suzana Queiroga participa de exposição de arte ‘Rios do Rio’

Suzana Queiroga participa de exposição de arte ‘Rios do Rio’

O Museu Histórico Nacional, na Praça Marechal Âncora, no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro, recebe a exposição “Rios do Rio”, a partir do dia 24 de abril. A mostra reúne trabalhos de diversos artistas, dentre eles a artista Suzana Queiroga, que leva sua obra Cidades Nuvens, com dimensões e configurações variáveis. O trabalho de Queiroga se destaca pela inteligência com que articula operações improváveis e radicais e no que se desprende das tradições para se lançar em um campo amplo de possibilidades que permite infinitas configurações. Sua obra, como numa verdadeira rede, articula diferentes meios que se entrecruzam formando um todo poético e contemporâneo.

No universo complexo de pluralidades da arte contemporânea, Suzana Queiroga nos propõe vislumbrar o próprio pensamento. A artista se interessa por vários campos do conhecimento no que se dedica a pesquisas filosóficas e científicas e aciona diversos elementos e domínios da cultura ao mesmo tempo. Sua obra posiciona-se diante do mundo não para produzir simples contemplação, mas para possibilitar ao espectador a imersão em um campo sensorial profundo e num espaço mental no qual a obra se relaciona com o ser, o tempo e os reverbera.

A instalação de Suzana Queiroga na “Rios do Rio” será uma nova montagem da obra que esteve em Vitória, no Espírito Santo, num projeto com a galeria Matias Brotas Arte Contemporânea.

Com curadoria de Fernanda Pequeno, a exposição reúne trabalhos de arte contemporânea e obras históricas, documentos, mapas, objetos tais como bicas, e fotografias de rios, chafarizes e reservatórios de água doce da cidade do Rio de Janeiro.

Serviço:

“Rios do Rio”

Data: de 24 de abril até 16 de junho

Local: Praça Marechal Âncora, Centro, Rio de Janeiro

Horário de funcionamento: terça a sexta-feira das 10h às 17h30 […]

  • Mai-Britt Wolthers_ Arista_São Paulo
    Permalink Gallery

    Galeria Eduardo Fernandes recebe mostra-solo ‘Incertezas Amanhecem’, da artista Mai-Britt Wolthers

Galeria Eduardo Fernandes recebe mostra-solo ‘Incertezas Amanhecem’, da artista Mai-Britt Wolthers

A Galeria Eduardo Fernandes, em São Paulo, abre a exposição “Incertezas Amanhecem”, da artista Mai-Britt Wolthers.

Ao todo, estarão expostas 10 obras que provocam o espectador por sua dualidade: a artista é exuberante, barroca e intensa, mas é também contida, objetiva e silenciosa.

A exposição estará aberta a visitação de segunda a sábado e a entrada é gratuita. Os trabalhos se resumem nas relações que consegue estabelecer entre forma, linha, cor, seja na pintura, escultura ou instalação.

“Gosto de fazer novas relações entre esses itens, sempre buscando o equilíbrio e às vezes até o desequilíbrio. Porém, sempre desejando alcançar o belo e a harmonia de alguma forma, mesmo em um trabalho menos equilibrado eu procuro a beleza, que obviamente é algo subjetivo”, destaca Mai-Britt.

Nascida na Dinamarca, a artista desde cedo convive com a tradição pictórica  dos grandes centros europeus.

O Brasil trouxe para a artista a riqueza e a exuberância das paisagens, é tema constante nas obras de Mai-Britt, e a capacidade de refletir sobre o tempo em ritmos e escalas diferentes.

Em agosto a artista terá individual na Galeria Matias Brotas, com uma exposição inédita.

Sobre a arista:

Reside no Brasil desde 1986, vive e trabalha em Santos e Sao Paulo. Sua produção tenciona as relações entre cor e forma, jogando com a ideia de um equilíbrio visual. Trabalha com pintura, escultura, gravura,video e instalações.

Realizou 14 exposições individuais, entre elas, Hileia no Centro Cultural dos Correios – RJ, 2010 e Equações no CCSP (Centro Cultural São Paulo), 2014.

Das suas exposições coletivas destacam-se X Bienal Nacional de Santos, 2006, e XI Bienal do Recôncavo, 2011 e I’m Rosa -Gallery Lamb-arts, London 2016.

Serviço:

“Incertezas Amanhecem”

Data: de 2 de abril a 4 de maio

Local: Rua Harmonia, 145, São Paulo – SP

Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 10h às […]

Para Ler: Dica de livro por Andre Andrade

Segundo o artista Andre Andrade o livro é interessante para quem quer se aprimorar, crescer como pessoa e vencer na vida.

Quando o autor do livro, Dave Asprey, iniciou seu podcast Bulletproof Radio ele buscou influenciadores em uma variedade de disciplinas; de bioquímicos trabalhando em laboratórios desconhecidos até líderes de negócios mudando o mundo, além de mestres de mediação.

Os convidados de Dave Asprey se resumiam em pessoas com melhor desempenho no mundo, pessoas que mudaram suas áreas de estudo ou até mesmo foram pioneiras em campos totalmente novos.

Dave queria saber: o que eles tinham em comum? O que mais importava para eles?  E, por fim, ele perguntava para cada um deles; Quais são as suas três principais recomendações para pessoas que querem ter um desempenho melhor em ser humano?

Depois de analisar as respostas, ele descobriu que a sabedoria obtida dessas pessoas altamente bem sucedidas poderia ser resumida em três objetivos principais; encontrar maneiras de se tornar mais inteligente, mais rápido e mais feliz.

O Game Changers é o ponto culminante da imersão de anos de Dave nessas conversas; oferecendo 46 “leis” de alto desempenho apoiadas pela ciência que são um manual virtual de como melhorar a vida.

Domando o medo e a ansiedade para tomar melhores decisões; estabelecendo hábitos de alto desempenho e praticando gratidão e atenção plena.

Saiba mais sobre o autor:

Dave Asprey é um investidor e empresário do Vale do Silício, um biohacker profissional, e o criador do Café à prova de balas feito com manteiga. Ele é o anfitrião de Bulletproof Radio, um programa de rádio nacionalmente sindicado e podcast ranking # 1 com 50 milhões de downloads. Dave atua como presidente do Silicon Valley Health Institute. Ele também já escreveu cinco livros.

Perdeu a última dica de […]