Exposições

Primeira exposição do Clube do Colecionador é sucesso de público na Matias Brotas

Reservada para a última exposição da temporada 2019 da Matias Brotas Arte Contemporânea, a mostra coletiva ‘Clube do Colecionador Séries Exclusivas’ estreou no dia 5 de dezembro com trabalhos inéditos e exclusivos de 19 artistas. A montagem reúne esculturas, pinturas, gravuras, instalações, entre outros trabalhos.

Na exposição o público pode apreciar e adquirir importantes trabalhos de Adriana Vignoli, Amália Giacomini, Ana Paula Oliveira, Fernando Augusto, José Rufino, José Spaniol, Lando, Lara Felipe, LincoIn Dias, Mai-Britt Wolthers, Marcelo Solá, Matias Mesquita, Omar Salomão, Renata Egreja, Ricardo Becker, Rosana Paste, Suzana Queiroga, Thainan Castro e Vilar. A entrada é gratuita.

 

Colecionador e curador

A exposição marca o início de um novo formato do Clube do Colecionador, que agrega o predicado ‘Séries Exclusivas’, propondo o colecionador como curador da sua própria coleção. Um colecionador é, por natureza, um acumulador apaixonado e interessado em arte, que com o passar do tempo cria um acervo e se envolve com seus objetos de desejo, criando um repertório pessoal e deixando de ser um simples espectador, para assumir uma postura ativa dentro desse universo.

Segundo a galerista Lara Brotas, as ‘Séries Exclusivas’ propõem o colecionador como curador, na medida em que as escolhas partem da sua autonomia em estabelecer conexões singulares com o mundo da arte contemporânea. “Ao estimular a curadoria da própria coleção, mantemos nosso compromisso de acender no público o universo sensível da natureza humana, tão peculiar no encontro com a arte”, enfatiza.

 

Conheça os artistas e seus respectivos trabalhos expostos

ADRIANA VIGNOLI – Sutura de Concreto | 2019
A obra da série “Sutura de Concreto” apresenta-se pela suspensão com cabo de aço de um cubo de concreto e uma vidraria esférica com terra vermelha típica do centro oeste brasileiro. Suas partes quase se tangenciam, e […]

  • ‘Jardim Infinito' de Suzana Queiroga_O Jardim
    Permalink Gallery

    Jardins do Instituto Casa Roberto Marinho inspira coletiva “O Jardim”

Jardins do Instituto Casa Roberto Marinho inspira coletiva “O Jardim”

Poéticas diferentes se encontram na coletiva “O Jardim”, inaugurada na Casa Roberto Marinho dia 5 de dezembro.

Com projeto original de Roberto Burle Marx, os jardins da propriedade inspiram a temática que norteia a exposição. A mostra segue em cartaz até 26 de abril de 2020.

Ao todo, 11 artistas contemporâneos criaram múltiplos alinhados pela diversidade de suas linguagens: Suzana Queiroga, Angelo Venosa, Beatriz Milhazes, Carlito Carvalhosa, Hilal Sami Hilal, Iole de Freitas, Luciano Figueiredo, Maria Bonomi, Paulo Climachauska, Regina Silveira e Vania Mignone.

Os múltiplos trazem o interesse das concepções específicas de cada artista sobre o tema jardim: lugar de memória, afirmação do homem sobre a natureza, referências literárias, local da infância, de afetos ou das representações da arte ao longo dos tempos.

“É um mergulho nos jardins concretos e imaginários de cada um”, comenta o diretor da Casa Roberto Marinho e curador da exposição, Lauro Cavalcanti.

Exposição coletiva “O Jardim”

Data: até 26 de abril de 2020, com visitação de terça a domingo, sempre das 12h às 18h

Local: Instituto Casa Roberto Marinho – Rua Cosme Velho, 1105 – Cosme Velho, Rio de Janeiro

  • Arte_comvida_Rosana Paste
    Permalink Gallery

    Coletiva no Espaço Emparede Contemporânea marca a última das mais de 40 atividades do projeto Arte Comvida em 2019

Coletiva no Espaço Emparede Contemporânea marca a última das mais de 40 atividades do projeto Arte Comvida em 2019

Ao longo deste ano, em mais de 40 diferentes exposições, o público pôde apreciar importantes obras de artistas capixabas, ou que atuam no Espírito Santo, e participam do projeto Arte Comvida.

A última do ano estreou no dia 6 de dezembro, no Emparede Contemporânea, centro cultural localizado em Santo Antônio, Vitória.

Com o nome que faz referência ao encontro dos dois projetos, a exposição coletiva “Em paredes com vida, com paredes em vida”, vai contar com obras de 25 artistas.

Nomes como Rosana Paste, Lando, Gui Castor, Maria Toscano, Eugenio Goulart, Julia Ramalho, Thiago Balbino, Salsa Brezinsky e outros artistas integram a exposição que fica no Emparede até 4 de março de 2020.

Apesar do caráter celebrativo do lançamento da exposição, a produtora e idealizadora do Arte Comvida Denise Cesar lembra das dificuldades enfrentadas pela falta de apoio ao longo do ano.“Faltam patrocinadores que olhem com carinho para a necessidade de visibilidade da arte produzida no Estado e também, maior divulgação e outros tipos de apoios”, explica.

O Comvida tem como objetivo levar as artes plásticas e visuais para novos espaços além das galerias tradicionais.

 

Exposição coletiva “Em paredes com vida, com paredes em vida”

Data: até 4 de março de 2020

Local: Emparede Contemporânea – Rua Albuquerque Tovar, 41, Santo Antônio – Vitória

Agendamento de visitas: (27) 99983-3068

  • Tempo Hábil_2019_Ana Paula Oliveira
    Permalink Gallery

    Artista Ana Paula Oliveira participa da exposição “Três paisagens”, na Casa de Cultura do Parque

Artista Ana Paula Oliveira participa da exposição “Três paisagens”, na Casa de Cultura do Parque

A Casa de Cultura do Parque, em Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, abriu no dia 09 a exposição “Três Paisagens”, coletiva dos artistas Ana Paula Oliveira, Daniel Caballero e Fernando Limberger. Reflexões sobre a paisagem fazem parte da mostra que tem a direção artística de Claudio Cretti.

A diversidade retratada nos trabalhos dos três artistas, concebidos a partir de intervenções no ambiente expositivo ou de elementos recolhidos da natureza, visa contribuir para a ampliação da consciência do mundo e para a superação das adversidades ambientais.

No trabalho Tempo hábil (2019) – foto -, Ana Paula Oliveira inventa paisagens a partir de 5 mil origamis de cigarras e peças de madeira-de-lei retiradas de antigas ferroviárias.

No dia 30 de novembro, às 16h, acontecerá um bate-papo sobre a exposição, com os artistas da mostra e o acadêmico Cauê Alves. No mês de janeiro, o local também promove uma série de ações educativas de férias em torno da exposição.

Visite!

Visitação: até 22 de março de 2020.

Horário: quarta a sexta, das 11h às 19h, sábados e domingos das 10h às 18h.

Entrada: gratuita.

Local: Casa de Cultura do Parque – Endereço: Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1300 – Alto de Pinheiros.

  • José Bechara_Arabia
    Permalink Gallery

    BIENALSUR conta com a participação do artista José Bechara no Museu Nacional de Riade, na Arábia Saudita

BIENALSUR conta com a participação do artista José Bechara no Museu Nacional de Riade, na Arábia Saudita

Romper com as formas preestabelecidas e jogar com o espaço: as obras do artista brasileiro se inserem no conceito da primeira mostra de arte contemporânea internacional no Museu Nacional de Riade, que recebe a BIENALSUR, Bienal Internacional de Arte Contemporânea da América do Sul.

“Recovering Stories, Recovering Fantasies”, teve início no dia 05 de novembro e reúne trabalhos de 18 artistas de diferentes países numa associação cultural inédita que encerrará a segunda edição da Bienal, inaugurado em maio passado na cidade argentina de Ushuaia.

Sobre José Bechara

José Bechara é um artista plástico carioca, conhecido pelo seu caráter experimental e a utilização diversificada de métodos e materiais, o que permite novas experiências no campo pictórico.

Estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) e hoje vive e trabalha no Rio de Janeiro.

No início de sua carreira, sua obra era predominantemente pictórica, mas a partir do desenvolvimento de sua linguagem poética, os trabalhos passaram a incluir esculturas e instalações, além dos desenhos e pinturas, e a travar um diálogo mais direto com a arquitetura.

Visite!

Local: Museu Nacional – Riyadh, Arabia Saudita.

Data: até 05 de dezembro de 2019.

Acompanhe pelo Instagram: https://www.instagram.com/bienalsurarte/.

  • José Spaniol_Bienal de Coimbra
    Permalink Gallery

    Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Anozero`19) expõe trabalhos de José Spaniol e José Bechara

Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Anozero`19) expõe trabalhos de José Spaniol e José Bechara

A terceira edição da Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Anozero`19), que teve início no dia 02 de novembro, tem a participação de dois artistas representados pela Matias Brotas Arte Contemporânea, José Spaniol e José Bechara.

O trabalho “Sonhos de Outubro”, do artista José Spaniol, que tem 10 metros de altura, faz referência a uma onda e foi desenvolvida a partir da observação do mar, da imprevisibilidade e surpresas que os oceanos sugerem. O trabalho do artista está na Sala da Cidade.

Já a instalação de José Bechara, exposta no Convento de Santa Clara-a-Nova, assenta em grelhas construtivas onde cromatismos cintilantes ou ferrosos flutuam em espaços ilimitados. A mesma orientação precede as suas esculturas, nas quais volumes geométricos, íntegros e vazados, se emaranham e multiplicam.

A engenharia destes espaços multidimensionais de Bechara converge, desmaterializada, nas suas instalações de vidro, cuja espacialidade interna é construída pelo volume variável de vazio existente entre os sucessivos planos de vidros suspensos.

O professor de arquitetura e crítico de arte Agnaldo Farias assume a curadoria dessa bienal e a curadoria-adjunta é de Lígia Afonso e Nuno de Brito Rocha.

Visite!

Local: As exposições, que são de entrada livre, vão ocupar vários espaços da cidade de Coimbra. Veja a programação no link: bienalsur.org/es/today/93.

Data: até 29 de dezembro de 2019.

Acompanhe pelo Instagram: https://www.instagram.com/bienalsurarte/.

 

  • Exposição de José Bechara_Território Oscilante
    Permalink Gallery

    Porto Alegre recebe artista José Bechara pela 1ª vez com exposição ‘Território Oscilante’

Porto Alegre recebe artista José Bechara pela 1ª vez com exposição ‘Território Oscilante’

Aberta a visitações até 15 de dezembro, ‘Território Oscilante’ é o título da exposição individual do artista carioca José Bechara na Fundação Iberê, em Porto Alegre. A mostra tem curadoria de Luiz Camillo Osório e reúne pinturas, esculturas, instalações, desenhos e fotografias.

Essa é a primeira exposição do artista em Porto Alegre e reúne diversos momentos de sua trajetória, desde as pinturas oxidadas, passando pelos exercícios fotográficos, seus muitos pequenos desenhos de ateliê e suas potentes instalações com vidro.

José Bechara iniciou os estudos em 1987, e as experimentações com suportes e técnicas diversificadas são características marcantes de seus trabalhos. Outra particularidade de Bechara é a geometria, fortemente influenciado por Kasimir Malevich (1878-1935).

“A minha geometria sustenta peças que podem desmontar, vidros que podem quebrar, objetos depositados com gravidade e podem cair. Uma geometria com drama, esforçando-se para existir”, diz o artista

O artista

José Bechara é um artista plástico carioca, conhecido pelo seu caráter experimental e a utilização diversificada de métodos e materiais, o que permite novas experiências no campo pictórico. Estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) e hoje vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Programe-se:

‘Território Oscilante’

Local: Av. Padre Cacique, 2000, Porto Alegre

Data: A partir do dia 12 de outubro até 15 de dezembro de 2019

Visitação: Quarta a domingo, das 14h às 19h

Agendamento de visitação: agendamento@iberecamargo.org.br ou telefone (51) 3247- 8001

  • MiroSoares_overseas_
    Permalink Gallery

    Palácio Anchieta recebe exposição individual ‘Overseas’ de Miro Soares

Palácio Anchieta recebe exposição individual ‘Overseas’ de Miro Soares

O deslocamento, a viagem e a caminhada norteiam o processo criativo de ‘Overseas’, exposição que Miro Soares, artista representado pela galeria MBac, inaugurou na última quinta-feira (10), no Espaço Cultural Palácio Anchieta, Cidade Alta, Centro de Vitória.

Dentre as 45 obras, destaca-se a vídeo instalação Sea Studies, que ocupa a sala principal do espaço expositivo, e exibe imagens gravadas em vários pontos da costa da Lituânia, Letônia e Estônia, em 2010, 2011 e 2016, criando um retrato do Mar Báltico e de sua região ao longo das estações.

Também na obra Itinerários Imprecisos #1, uma série de vídeos que mostra as primeiras impressões de sete pessoas sobre a cidade de Bergen, na Noruega, resultado do pedido do artista para que elas desenhassem em um mapa um itinerário para seguir em seus primeiros dias no local; onde o artista solicita a sete pessoas diferentes para desenhar em um mapa um itinerário para seguir nos seus primeiros dias na cidade de Bergen, levando-o às impressões iniciais sobre a cidade.

O artista

Miro Soares é professor adjunto do Departamento de Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Artista visual, filmmaker, pesquisador e viajante, Miro Soares trabalha na intersecção dos campos da fotografia, do cinema, do vídeo e de novas mídias, explorando os conceitos de mobilidade e de arte contextual.

Programe-se:

‘Overseas’

Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta, Praça João Clínico, Cidade Alta, Vitória

Data: A partir do dia 10 de outubro até 8 de março de 2020

Visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h

Agendamento de visitação: (27) 3636-1032

 

  • Náufrago calado, Pedro Motta. Foto_Divulgação
    Permalink Gallery

    Exposição coletiva reúne obras de 22 artistas no Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia

Exposição coletiva reúne obras de 22 artistas no Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia

A exposição coletiva ‘Mostra Ambiental: arte e movimentos’ reúne obras de 22 artistas no Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), localizado no Jardim Europa, cidade de São Paulo. A mostra pode ser visitada entre 31 de agosto e 3 novembro de 2019. A entrada é gratuita.

Com curadoria de Cauê Alves, curador chefe do Museu, e Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, a exposição reúne desenhos, pinturas, fotografias e instalações que dialogam direta e indiretamente com questões ecológicas, além de abrir espaço para que organizações socioambientais apresentem suas ideias e ações.

A coletiva traz obras de artistas como Shirley Paes Leme, Vanderlei Lopes, Yiftah Peled, Alexandre da Cunha, Arthur Lescher, Brígida Baltar, Cláudia Jaguaribe, Dudi Maia Rosa, Luiz Zerbini, Pedro Motta e Rodrigo Bueno.

A convite do MuBE, as organizações Fundação SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), Fundação Pró-Tamar, Save-Brasil e WWF-Brasil ocupam a área externa do Museu no dia da abertura e na tradicional feira dominical, trazendo uma série de ações ao longo do período expositivo.

Ambiental: arte e movimentos
Data: De 1 de setembro a 3 de novembro. Terça a domingo, das 10h às 18h
Local: MuBE – Museu Brasileiro da Escultura e da Ecologia – Rua Alemanha, 221, Jardim Europa, São Paulo, SP
Mais informações: www.mube.space

  • José Bechara - “Ok, ok Let’s talk” - Em Berlim
    Permalink Gallery

    Carioca José Bechara participa da exposição coletiva “Walking through Walls”, em Berlim

Carioca José Bechara participa da exposição coletiva “Walking through Walls”, em Berlim

Com curadoria de Sam Bardaouil e Till Fellrath, a exposição coletiva “Walking Through Walls” será inaugurada no dia 12 de setembro no Gropius Bau, Berlim.
A instalação “Ok, ok Let’s talk”, do artista carioca José Bechara, que integra o portfólio de representação da galeria Matias Brotas, estará na mostra.
O trabalho utiliza peças do mobiliário doméstico para produzir uma experiência plástica com marcado rigor formal, que sugere experiência sobre diálogos familiares difíceis, quase impossíveis.
Nesse mesmo período a cidade de Berlim oferece a Berlin Art Week com inúmeras exposições em galerias e museus e também as feiras Positions Berlin Art Fair e Art Berlin.
Sobre o artista
José Bechara é um artista plástico carioca, conhecido pela utilização diversificada de métodos e materiais.
Entre as principais exposições de Bechara estão a 25ª Bienal de São Paulo, o 29ª Panorama da Arte Brasileira, a 5ª Bienal do Mercosul e a  Trienal de Arquitetura de Lisboa de 2011.
Realizou individuais no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio, em 2010, e no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, em 2013, entre outras. Bechara vive e trabalha no Rio de Janeiro.
Serviço:
Data: 12 de Setembro 2019 à 12 de Janeiro 2020
Local: Gropius Bau – Niederkirchnerstraße 7, 10963. Berlin, Alemanha