Moishe Shagalov, conhecido como Marc Chagal I, superou a fome, a guerra e a perda precoce da esposa para se tornar um dos principais artistas do século XX.

Essa trajetória movimentada e improvável está em “Chagall — A invenção do artista”, uma biografia feita para os mais jovens, mas que pode ser lida por toda família.

O livro é narrado sob o ponto de vista de várias pessoas que o ajudaram: sua mãe, seu professor de desenho, sua esposa, sua irmã que tinha vontade de estudar e não podia.

A obra ainda aborda questões de identidade, já que o artista foi muito marcado por sua infância em um lugar religioso. Um universo que aparece em suas telas sob as formas de violinistas, sinagogas, casamentos e funerais.

Ilustrações

Para cada ilustração, me inspirei em duas ou três dele, para lembrar seus quadros sem fazer uma cópia — diz Babi Wrobel, a ilustradora — Quando a Leticia me chamou, fiquei apavorada, não sabia por onde começar.

Aos poucos, fui estudando sobre a vida dele, lendo os livros que ele escreveu, e comecei a me identificar.

Tem artistas que são mais polêmicos, politizados, enquanto ele falava sobre o amor. Ele queria despertar o que existia de mais divino mas pessoas.

‘Chagall — A invenção do artista’

Autora: Leticia Binenbojm

Ilustrações: Babi Wrobel

Editora: Quase Oito

 

Veja aqui a nossa dica de livro de setembro.