O artista José Bechara inaugura no próximo dia 25 de julho a exposição ‘Fluxo Bruto’ com trabalhos inéditos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM. A individual celebra os 60 anos do artista e sua trajetória na arte iniciada em 1992.

A curadoria da mostra é de Beate Reifenscheid, curadora e diretora do Ludwig Museum, Koblenz, Alemanha, e de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes, do MAM Rio de Janeiro. A mostra reúne trabalhos em grande escala tridimensionais em alumínio, mármore, madeira e vidros planos, além de pinturas sobre lona. O conjunto é formado por trabalhos inéditos, alguns deles desenvolvidos a partir de obras anteriores, que ganharam “novas ativações, contaminados pelas demais peças e pelo espaço arquitetônico”, comenta Bechara.

José Bechara diz que “Fluxo Bruto” propõe uma “mirada para trabalhos em permanente alteração. Em estado bruto, esses trabalhos movimentam-se no curso da produção, e devem se concluir na obra a seguir”. “Com exceção das pinturas, todos os demais trabalhos serão ‘construídos’ no espaço expositivo durante os dias de montagem, a partir de escolhas frente às relações espaciais e de vizinhança entre as obras”, explica.

José Bechara | Fluxo Bruto | Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro | 25.07.17 a 05.11.17