Idealizada por Paulo Herkenhoff e com curadoria de Tania Rivera, José Bechara é um dos artistas que compõem a coletiva ‘Lugares do Delírio’ que fica em exposição no Museu de Arte do Rio (MAR), no Píer Mauá, até 18 de junho.

Bechara expõe sua obra chamada ‘Ultra-ultra’, de 2008, da Série Open House, uma acrílica sobe madeira de dimensões variáveis.

A mostra apresenta cerca de 150 trabalhos, entre instalações, mapas, performances, pinturas e objetos. E além de José Bechara, nomes como Cildo Meireles, Laura Lima, Anna Maria Maiolino, Arthur Bispo do Rosário, Fernand Deligny, Lygia Clark, Raphael Domingues, Gustavo Speridião, Fernando Diniz, Cláudio Paiva, Geraldo Lúcio Aragão e outros compõem a coletiva.

“Lugares do delírio” trata-se de uma reflexão política a ética sobre loucura e arte, portanto reúne trabalhos e práticas significativas em torno do delírio e da dimensão produtiva da loucura. Apresenta uma trama de experiências e artistas que atuaram no território da saúde mental no Brasil, especialmente a partir dos anos 1940.