O artista Matias Mesquita abriu exposição individual ‘Intempéries Permanentes’, na Referência Galeria de Arte, em Brasília. Na mostra, que tem curadoria de Cinara Barbosa, Mesquita dá continuidade à sua pesquisa com materiais de construção, estruturais e arquitetônicos, ampliando o leque de suportes possíveis para receber sua pintura.

Na exposição, ele agrega à sua produção novos materiais como: chapas de alumínio, caixas de ferro, placas de concreto e de terra vermelha do Cerrado, blocos de concreto, de tijolos e de alvenaria. A matéria-prima opera como indício de nossa realidade urbana, destrinchando sua condição social, massificada e industrial.

É na imersão contemplativa dentro do cotidiano corriqueiro que Matias Mesquita encontra a primeira força motriz para o desenvolvimento de seus trabalhos. A livre associação de situações do dia a dia gera imagens e reflexões que começam a dar contorno às ideias e ao conceito das obras.

No contraste entre as delicadas pinceladas e a brutalidade dos suportes, justaposição que ora funciona como complemento simbólico, ora como jogo de opostos, transmuta-se a poética essencial do trabalho do artista. Rompem-se, portanto, os limites que delimitam a fronteira entre a instalação, a escultura e a pintura para percebermos a vertente de um trabalho híbrido.
A curadora Cinara Barbosa acompanha a produção de Matias Mesquita desde 2016. Ela afirma que o processo de construção desta mostra partiu do interesse e da expertise do artista em pintura sobre materiais diversos.

Segundo a curadora, existe a preocupação em apresentar pelo menos a trajetória de um processo que já se encontra em outras etapas, mas em que se podem conferir as nuances dessa origem e dos novos apontamentos da pesquisa. “Ao longo de dois anos, desenvolvemos uma serie de interlocuções pensando em projetos de exposição. Muitas questões foram discutidas durante o processo que partiam do interesse do Matias e de sua expertise da pintura sobre materiais diversos”, afirma.

Sobre Matias Mesquita
Graduado em Desenho Industrial /Comunicação Visual pela PUC-Rio em 1998, Matias Mesquita inicia sua carreira profissional na produção de video-clipes de animação, alguns deles premiados pela MTV Video Music Awards Brasil, e trabalhou em animações do Estúdio 2D Lab. Em 2009 começa a frequentar o curso “ARTE HOJE: Atitudes contemporâneas”, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, e inicia sua carreira como artista plástico.

Desde que começou a trabalhar como artista plástico, Matias Mesquita participa de exposições coletivas no Rio de Janeiro, São Paulo. Em 2011, foi agraciado com o terceiro lugar no Prêmio 20º Encontro de Artes de Atibaia/ São Paulo e com o Prêmio IBRAM Feira ArtRIO.

A partir de então decidiu dedicar-se exclusivamente às artes plásticas. No ano seguinte, em 2012, fez sua primeira exposição individual, “Incontáveis”, em A Gentil Carioca, Rio de Janeiro. Seguindo em 2013 com a exposição “O que pesa mais”, também em A Gentil Carioca. Em 2014, fez “Impermanência”, no Elefante Centro Cultural, Brasília. Em 2015, abriu a individual “Traços de Impermanência”, na Zipper Galeria, São Paulo. Desde 2013 mora e trabalha em Brasília, onde fundou junto com a gestora cultural Flavia Gimenes o Elefante Centro Cultural.