• Adrianna EU | ‘Transformação’ | Casa Firjan | Rio de Janeiro | agosto a dezembro
    Permalink Gallery

    Adrianna EU | ‘Transformação’ | Casa Firjan | Rio de Janeiro | agosto a dezembro

23 08, 2018

Adrianna EU | ‘Transformação’ | Casa Firjan | Rio de Janeiro | agosto a dezembro

Por |agosto 23rd, 2018|Adrianna Eu, Notícias|0 Comentários

Casa Firjan, uma mansão centenária no bairro Botafogo, no Rio de Janeiro, é o mais novo espaço de arte da cidade carioca. Com curadoria de Marcelo Dantas, a casa abriu ao público com a exposição coletiva ‘Transformação’, que marca a programação dos seis primeiros meses da Casa e segue com visitação gratuita até dezembro.

A instalação inédita “aula de pesca para iniciantes”, da artista Adrianna EU, é um dos destaques da mostra. A obra é composta de cinco milhões de metros de fio de linha de costura vermelha, e anzóis prateados, e fala sobre a eliminação do objeto a ser capturado. Nas palavras da própria artista ‘A pesca do próprio mar como uma alusão ao amor pelo ato de amar. O desejo de amar”.

A mostra “Transformação” também traz painéis digitais, objetos, esculturas e atividades interativas, convidando o público a entrar por um túnel e fazer um passeio pela história da indústria no Rio de Janeiro e no Brasil. Ao contemplar o presente e vislumbrar o futuro da indústria e da sociedade como um todo, o visitante é levado a refletir sobre os desafios da nova economia.

Reunindo um casarão histórico, um prédio novo de quatro andares, duas casas geminadas e um jardim — são 10. 000 metros quadrados de terreno e 7.500 de área construída —, a ideia da Casa Firjan é abrigar palestras, workshops, cursos, aulas imersivas e laboratórios, além de atividades culturais, como exposições, apresentações musicais, sessões de cinema ao ar livre e um restaurante.

Para montarem a Casa Firjan, profissionais da Federação das Indústrias visitaram centros de ponta na Europa, como o Waag Society & Fablab, em Amsterdã, e o Space 10, referência em estudos de futuro, em Copenhague.
O espaço de inovação carioca […]

  • Antonio Bokel | INQUIET (AÇÃO) | AM Galeria | Belo Horizonte – MG | 04.08.18 a 23.09.18
    Permalink Gallery

    Antonio Bokel | INQUIET (AÇÃO) | AM Galeria | Belo Horizonte – MG | 04.08.18 a 23.09.18

23 08, 2018

Antonio Bokel | INQUIET (AÇÃO) | AM Galeria | Belo Horizonte – MG | 04.08.18 a 23.09.18

Por |agosto 23rd, 2018|Antônio Bokel, Exposições, Notícias, Vanda Klabin|0 Comentários

O instigante nome ‘Inquiet(ação)’, o artista Antonio Bokel abriu individual na AM Galeria de Arte, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Com curadoria de Vanda Klabin, a exposição reúne 40 trabalhos de Bokel, dentre pinturas, esculturas e uma instalação – algumas dessas obras já conhecidas e outras apresentadas ao público pela primeira vez.

Inspirada na temática de morte e renascimento, há um olhar sobre o olhar da pintura, que cria uma interlocução com outras linguagens, como a literatura. Antonio Bokel relaciona suas obras à linguagem de artistas urbanos e da arte pop, como Andy Warhol, Keith Haring e Jean Michel Basquiat, assim como outros nomes da vanguarda contemporânea, como Amílcar de Castro e Mira Schendel.

A temática dos ciclos da vida norteia a mostra: morte e renascimento são abordagens constantes. O artista criou também elementos geométricos e apostou na repintura de telas, reforçando a ideia de memória e reconstrução de passado, sem deixar de lado a poética urbana que atravessa toda a obra do artista.

A exposição segue para visitação gratuita até dia 23 setembro.

Veja texto crítico na íntegra da curadora:

INQUIET (AÇÃO) por Vanda Klabin
A trajetória artística de Antonio Bokel é uma das ricas e variadas da sua geração. Beneficiário de uma liberdade contemporânea, uma poética de suas experimentações artísticas tem outra duração, outra intensidade. O crítico de arte Giulio Carlo Argan é umlivro de arte que faz uma representação do mundo e uma ação que realiza .  Antonio Bokel trabalha com a corrosão do conceito de arte, ao utilizar um equipamento crítico que remete, através do seu repertório prolixo, a transformadores transformadores. Suas obras são experiências multidirecionadas, inquietas e interrogativas. As suas críticas às pressões de tessitura urbana, desordenada e anónima, são adequadas ao olhar do artista […]

  • QUEERMUSEU: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira | Escola de Artes Visuais do Parque Lage | Rio de Janeiro | 18.08.18 a 16.09.18
    Permalink Gallery

    QUEERMUSEU: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira | Escola de Artes Visuais do Parque Lage | Rio de Janeiro | 18.08.18 a 16.09.18

23 08, 2018

QUEERMUSEU: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira | Escola de Artes Visuais do Parque Lage | Rio de Janeiro | 18.08.18 a 16.09.18

Por |agosto 23rd, 2018|Encontros, Exposições, Notícias|0 Comentários

A exposição Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, fechada e censurada em 10 de setembro do ano passado (no Santander Cultural, em Porto Alegre), foi reaberta agora em agosto nas Cavalariças da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV).

A aguardada remontagem no Rio conta com 223 obras de 84 artistas reconhecidos nacional e internacionalmente, como Adriana Varejão, Alair Gomes, Alfredo Volpi, Cândido Portinari, Efrain Almeida, Guignard, Leonilson, Lygia Clark, Pedro Américo, Sidney Amaral e Yuri Firmeza.

A curadoria de Gaudêncio Fidelis reuniu trabalhos provenientes de coleções públicas e particulares, que percorrem um arco histórico de meados do século XX até a atualidade, formando um mosaico significativo da diversidade estética e geracional da produção artística no país. A Queermuseu é a primeira plataforma curatorial com abordagem exclusivamente queer já realizada no Brasil e a primeira da América Latina com tal envergadura.
A diferença é um dos fundamentos do queer, termo de origem pejorativa que teve seu significado transformado nos anos 1980 na luta por direitos civis e movimentos LGBTI+. Desde então, queer passou a designar a diversidade e o direito a uma existência fora da norma.

“Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira” explora a expressão e identidade de gênero, a diversidade e a diferença na arte brasileira por meio de um conjunto de obras que percorrem um arco histórico de meados do século XX até a atualidade.

Em paralelo à mostra, como programa público, a EAV promoverá o Fórum Queermuseu. Discussões em torno das manifestações culturais periféricas, das diversas identidades de gênero e orientações sexuais pretendem reforçar o movimento contra a censura e a intolerância, além de reconhecer a pluralidade artística brasileira.

A Queermuseu no Rio contará ainda com apresentações musicais em todos os finais de semana da […]

23 08, 2018

Para Ler: Dica de livro por Celina Portella

Por |agosto 23rd, 2018|Celina Portella, Dicas de Livros, Notícias|0 Comentários

“Todos os fogos o fogo” de Julio Cortázar

A coletânea traz oito contos do argentino Julio Cortázar, que no quadro mundial dos contistas modernos, ele é um dos maiores autores do gênero. O livro ‘Todos os fogos o fogo’, reúne oito histórias que são oito obras-primas do conto moderno. Nestas histórias – algumas simétricas, outras paralelas e simultâneas, estas tecidas por associações de ideias, aquelas contraponteando tempo e espaço, umas concêntricas e, assim, em oposição às evocativas, quando então a memória envereda por espiralados volteios – há que destacar, sempre, a força de persuasão do escritor. Persuasão que integra o leitor de tal modo na narrativa que o torna um seu participante, que o faz cúmplice do que lê e do que vive.
O contista argentino conquistou essa destacada posição em virtude do seu fazer literário repleto de inovações e, ainda, por sua extrema acuidade no surpreender os mais recônditos móveis dos atos humanos, as suas esquivas, misteriosas ou secretas causas.
Cortázar é um atento minucioso perquiridor do homem, vale dizer, da vida. A Descoberta do lado oculto das pessoas e dos imprevistos associados em cada situação vital – situação que jaz aparentemente tranquila em circunstâncias várias, umas banais, outras de exceção – constitui mesmo a matéria que trabalha e retrabalha em todas as páginas de seus contos envolventes e fascinantes.

  • Suzana Queiroga | Exposição Individual | Cassia Bomeny | Ipanema, Rio de Janeiro | 05.07.18 a 17.08.18
    Permalink Gallery

    Suzana Queiroga | Exposição Individual | Cassia Bomeny | Ipanema, Rio de Janeiro | 05.07.18 a 17.08.18

5 07, 2018

Suzana Queiroga | Exposição Individual | Cassia Bomeny | Ipanema, Rio de Janeiro | 05.07.18 a 17.08.18

Por |julho 5th, 2018|Notícias, Suzana Queiroga|0 Comentários

A artista plástica Suzana Queiroga inaugura no dia 05 de julho exposição individual de pinturas na Cassia Bomeny Galeria, em Ipanema, Rio de Janeiro, com curadoria do crítico de arte Fernando Cocchiarale, curador do MAM Rio.
A exposição é dedicada exclusivamente à pintura e serão apresentados cerca de quinze trabalhos inéditos, que tratam do cromatismo, da propagação de luz e remetem à ideia de infinito e continuidade, em um desdobramento da pesquisa da artista sobre os fluxos.

A exposição terá pinturas em tamanhos variados, que vão desde 40cmX40cm até 1,20mX2,40cm. A palheta de cores passa pelo azul, pelo verde e pelo violeta. “São cores ligadas  imenso, aos grandes espaços como o céu e o mar, e as relaciono com a ideia de infinito”, explica Suzana Queiroga. Artista multimídia, ela sempre produziu em todos os suportes, como pintura, desenho, vídeo e instalação, mas há sete anos não fazia uma exposição somente de pinturas. “Eu comecei minha trajetória artística pintando e nunca deixei de pintar. Estava devendo a mim e ao Rio de Janeiro uma exposição dedicada exclusivamente à pintura“, conta.
“Conforme as anotações da própria artista, é possível concluir que sob as notáveis transformações experimentadas por sua pintura permanece, alinhavando-as, a diferença alternativa de sua fatura luminosa em relação à fatura matérica que frequentemente marcou a  produção daqueles que promoveram a retomada da pintura na década de 1980”, ressalta o curador Fernando Cocchiarale. 
Há 10 anos a artista pesquisa a questão do fluxo e do tempo. Em sua recente exposição no Paço Imperial, realizada de março a maio deste ano, essas questões se desenvolveram muito ligadas à cartografia das cidades e à paisagem. Nos trabalhos que serão apresentados na exposição, a questão dos fluxos continua presente, mas […]

  • Renata Egreja | ‘Já que temos tempo, sejamos felizes’ | Museu de Arte de Goiânia | 10.07.18 a 26.08.18
    Permalink Gallery

    Renata Egreja | ‘Já que temos tempo, sejamos felizes’ | Museu de Arte de Goiânia | 10.07.18 a 26.08.18

5 07, 2018

Renata Egreja | ‘Já que temos tempo, sejamos felizes’ | Museu de Arte de Goiânia | 10.07.18 a 26.08.18

Por |julho 5th, 2018|Notícias, Renata Egreja|0 Comentários

A artista Renata Egreja inaugura no dia 10 de julho exposição individual no Museu de Arte de Goiânia com visita guiada por ela no dia de abertura.
A exposição contará com um apanhado de obras de diversos momentos e uma grande pintura inédita intitulada ‘Já que temos tempo, sejamos felizes’. Nelas dois seres dialogam em meio a um ambiente onírico e fantasioso. Em que tempo eles estão? A pintura tem um tempo?
Segundo a artista, essa obra carrega o nome da exposição que é otimista e se posiciona como uma bandeira de esperança perante as tragédias cotidianas, as vezes perante um expectador mais aflito pode parecer irônica.
‘Já que temos tempo, sejamos felizes é uma exposição contemporânea, onde sentimentos de impermanência, ilusão e alienação correm lado a lado com a urgência de deslocamento e mudança. Minhas pinturas narram essas desventuras de forma sutil e poética’, explica a artista.
A exposição fica aberta para divulgação até 26 de agosto.
Sobre a artista
Renata Egreja nasceu em São Paulo em 1984. Iniciou os estudos em artes visuais na FAAP e terminou na Ecole dês Beaux Arts de Paris, onde também concluiu o mestrado em 2010. Quando retornou para São Paulo participou de diversas exposições individuais e coletivas. Entre os prêmios mais relevantes obteve em 2012 o Premio Itamaraty de Arte Contemporânea e a residência artística na Índia oferecida pelo Itamaraty e o MAB Faap. Sua pintura é de forte inspiração ornamental e suas composições apresentam uma tendência um tanto quanto construtiva. A utilização de uma grande paleta de cores é uma forte característica de suas obras.

  • Inscrições abertas | #Curso2 MBac | Lincoln Dias | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | 07, 14, 21 e 28 de agosto
    Permalink Gallery

    Curso 02 MBac | Inscrições abertas | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | Lincoln Dias | 07, 14, 21 e 28 de agosto

5 07, 2018

Curso 02 MBac | Inscrições abertas | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | Lincoln Dias | 07, 14, 21 e 28 de agosto

Por |julho 5th, 2018|Agnaldo Farias, Cursos, Fernando Cocchiarale, Lincoln G. Dias, Notícias, Raquel Garbelotti|0 Comentários

Vem aí o curso 02 do projeto ‘Ciclo de Cursos’ da Matias Brotas arte contemporânea. O tema será ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’, e será ministrado pelo professor e artista Lincoln Dias. As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas. O curso acontece nos dias 07, 14, 21 e 28 de agosto.

A arte moderna e a arte contemporânea apresentam enormes dificuldades de compreensão e geram no público reações de descrédito, irritação, cinismo e perplexidade. Na expectativa de apontar as razões dessas dificuldades, o curso irá tratar das circunstâncias de produção, circulação e recepção da arte no mundo industrial moderno e no mundo informatizado contemporâneo, entendendo que estas circunstâncias são decisivas nos modos como o valor e o significado das obras são socialmente construídos.

Segundo Lincoln Dias, o curso parte das distinções essenciais entre arte moderna e arte contemporânea, quanto aos pressupostos estéticos, materialidade, estilo e pensamento particular de artistas e críticos. “Ganham destaque as ideias de obra e de público, surgidas na modernidade, bem como o ideal de autonomia da arte com relação aos outros setores da vida social. No plano de fundo se encontram questões mais abrangentes, como as confusões entre as ideias de arte e de imagem e as relações entre arte, cultura e realidade. O curso articula essas diferentes questões a partir da discussão comparada do pensamento e da experiência de alguns dos mais significativos artistas e teóricos da arte recente, nas suas dimensões estética, ética e política”, explica.

Arte moderna e arte contemporânea continuidade e rupturas
Lincoln G. Dias
Dias: 07 | 14 | 21 | 28 | Agosto
Horário: 19h às 21h30
Local do curso: Matias Brotas – Avenida Carlos Gomes de Sá, 130, Vitória. (subida da Maternidade Santa Úrsula). […]

5 07, 2018

Para Ler: Dica de livro por Nuno Ramos

Por |julho 5th, 2018|Dicas de Livros, Notícias, Nuno Ramos|0 Comentários

Cassandra, de Christa Wolf, editado pela Estação Liberdade

“Li recentemente este livro e achei muito interessante, pois quero fazer uma performance que usa a tragédia grega ‘Antígona’, de Sófocles. O livro é um misto de ensaio e novela muito interessante.

Sobre o livro: Prisioneira de Agamenon frente aos portões de Micenas, Cassandra só tem algumas horas de vida antes que os guardas de Clitemnestra cheguem para levá-la. Começa, então, a repassar o que foi sua vida e seu destino. O monólogo criado pela escritora alemã Christa Wolf coloca em cena os conflitos interiores vividos por esta bela dramática personagem, figura mitológica da Guerra de Tróia. Cassandra, filha dos reis troianos Príamo e Hécuba, num discurso poético e exasperante, lembra sua infância no palácio de sua família, a dolorosa separação de seu pai, seu mergulho na loucura quando suas visões contradiziam as verdades palacianas, os sofrimentos durante a interminável guerra que assolava sua gente. Amada por Apolo, tinha o dom da profecia, porém, como não quis se entregar a ele, recebeu o castigo divino de que ninguém acreditaria em suas palavras.

As observações que ela vai tecendo, em diálogos imaginários, fluindo e refluindo no tempo, revelam as facetas da alma humana e do próprio homem acossado pela guerra. Cassandra enfrenta sua própria morte, prevista por ela mesma. Ela enfrenta com lucidez o medo que sente: “Mas quando foi que minha arrogância frente à dor se desfez? No começo da guerra, evidentemente. Desde que vi o medo dos homens: que era o medo diante da luta, senão medo da dor física? Seus truques extravagantes para negar o medo ou fugir da luta, diante da dor”.

  • Inscrições abertas | #Curso2 MBac | Lincoln Dias | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | 07, 14, 21 e 28 de agosto
    Permalink Gallery

    Inscrições abertas | #Curso2 MBac | Lincoln Dias | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | 07, 14, 21 e 28 de agosto

25 05, 2018

Inscrições abertas | #Curso2 MBac | Lincoln Dias | ‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ | 07, 14, 21 e 28 de agosto

Por |maio 25th, 2018|Agnaldo Farias, Cursos, Fernando Cocchiarale, Lincoln G. Dias, Notícias, Raquel Garbelotti|0 Comentários

‘Arte moderna e arte contemporânea: continuidade e ruptura’ é o tema do 2º curso da Matias Brotas arte contemporânea. E as inscrições já estão abertas. Garanta sua vaga! O curso acontece nos dias 07, 14, 21 e 28 de agosto, e será ministrado pelo professor e artista Lincoln Dias.

A arte moderna e a arte contemporânea apresentam enormes dificuldades de compreensão e geram no público reações de descrédito, irritação, cinismo e perplexidade. Na expectativa de apontar as razões dessas dificuldades, o curso trata das circunstâncias de produção, circulação e recepção da arte no mundo industrial moderno e no mundo informatizado contemporâneo, entendendo que estas circunstâncias são decisivas nos modos como o valor e o significado das obras são socialmente construídos.

Segundo Lincoln Dias, o curso parte das distinções essenciais entre arte moderna e arte contemporânea, quanto aos pressupostos estéticos, materialidade, estilo e pensamento particular de artistas e críticos. “Ganham destaque as ideias de obra e de público, surgidas na modernidade, bem como o ideal de autonomia da arte com relação aos outros setores da vida social. No plano de fundo se encontram questões mais abrangentes, como as confusões entre as ideias de arte e de imagem e as relações entre arte, cultura e realidade. O curso articula essas diferentes questões a partir da discussão comparada do pensamento e da experiência de alguns dos mais significativos artistas e teóricos da arte recente, nas suas dimensões estética, ética e política”, explica.

Arte moderna e arte contemporânea continuidade e rupturas
Lincoln G. Dias
Dias: 07 | 14 | 21 | 28 | Agosto
Horário: 19h às 21h30
Local do curso: Matias Brotas – Avenida Carlos Gomes de Sá, 130, Vitória. (subida da Maternidade Santa Úrsula). Tel: (27)3327-6966.

O curso aborda as distinções históricas e conceituais entre […]

25 05, 2018

#TodoMundoNaGaleria | Agende sua visita!

Por |maio 25th, 2018|Encontros, Exposições, Notícias|0 Comentários

Que tal um programa diferente com a família e/ou os filhos no sábado pela manhã?

A galeria Matias Brotas arte contemporânea está de portas para receber com visita guiada os capixabas que querem validar e renovar as relações familiares com uma experiência única em torno da arte.

Com agendamento prévio, fazemos uma visita guiada pela exposição contando sobre as obras de arte, trajetória dos artistas e seus principais trabalhos e materiais usados nas criações. É um mergulho no universo da arte de forma leve e descontraída.

É uma oportunidade, inclusive, de introduzir as crianças no universo da arte, com contato com as obras de arte, podemos muitas vezes tocá-las, gerando maior interação, sentimentos e afetos.

Estamos te esperando!

Agenda sua visita: Tel: (27)3327-6966.

Atualização 01/jun:
E assim foi o nosso #todomundonagaleria
Uma manhã especial em torno da exposição “de sangue e ossos”, com curadoria de Isabel Portella, onde toda a família teve a oportunidade de conhecer um pouco mais da arte contemporânea de uma forma muito divertida.
Confira o vídeo