A publicação ‘Concreto e cristal: o acervo do MASP nos cavaletes de Lina Bo Bardi’ registra a retomada dos icônicos cavaletes de cristal, também chamados cavaletes de vidro, que constituíam a expografia projetada por Lina Bo Bardi para a atual sede do MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand), inaugurada em 1968. Ao remover as obras da parede e colocá-las sobre suportes transparentes de vidro, sustentados por uma base de concreto, e espalhá-las livremente pelo espaço monumental da instituição, a arquiteta almejava questionar a visão do museu como um espaço cultural privilegiado, conferindo ao visitante autonomia para decidir o próprio percurso pelo acervo. Removidos em 1996 a pretexto de que danificavam as obras, os cavaletes passam a ser renovados e reincorporados à montagem do acervo em dezembro de 2015, a partir da revisão crítica e da retomada das origens fundadoras do museu adotada por sua nova diretoria artística.

Organizado por Adriano Pedrosa e Luiza Proença, Concreto e cristal: o acervo do MASP nos cavaletes de Lina Bo Bardi reúne mais de 300 imagens das obras da coleção expostas na apresentação dos novos cavaletes, ao lado de fotografias de históricas dos cavaletes originais e documentos relacionados ao tema. O livro também traz ensaios de diferentes autores sobre os cavaletes de cristal, que os abordam sob diferentes perspectivas, refletindo sobre seus aspectos históricos, conceituais e técnicos.

Concreto e cristal: o acervo do MASP nos cavaletes de Lina Bo Bardi
Editora: Cobogó
Organização: Adriano Pedrosa e Luiza Proença
Número de páginas: 320
Ano de edição: 2015
Preço: R$ 150