O mapa e o território”, de Michel Houellebecq

“No melhor de seus romances, o francês Michel Houellebecq narra o percurso meteórico do artista visual Jed Martin, dos bancos da escola de arte até o sucesso absoluto de crítica e de mercado. Após inaugurar uma exposição de óleos em grandes dimensões – que inclui um insólito retrato duplo de Jeff Koons e Damien Hirst – Martin vai à caça do intelectual de quem deseja obter uma resenha crítica: este é ninguém menos que o idiossincrático e recluso Michel Houellebecq.

O romancista mostra uma surpreendente intimidade com os valores e impasses da arte no mundo contemporâneo, traduzindo-os nas preocupações íntimas de um artista no embate com a vida ordinária e com um sucesso cujo sentido lhe parece escapar. O livro, de grande força literária, apresenta surpresas a cada página e traz reflexões intrigantes a respeito do que há de mundano e de transcendente na experiência artística”.