exposições

Exposição "Casa de Pássaros" | ROSA OLIVEIRA | de 23 de março de 2017 a 29 de abril de 2017 | Matias Brotas arte contemporânea
Permalink Gallery

Exposição “Casa de Pássaros”
ROSA OLIVEIRA
de 23 de março de 2017 a 29 de abril de 2017

Exposição “Casa de Pássaros”
ROSA OLIVEIRA
de 23 de março de 2017 a 29 de abril de 2017

,

Com curadoria de Marcus de Lontra, a artista carioca apresenta 22 pinturas em médios e grandes formatos, sendo 11 telas inéditas. A mostra fica aberta para visitação até 29 de abril
‘Casa de Pássaros’ abre o calendário de exposições 2017 da Matias Brotas arte contemporânea. A individual com a artista carioca Rosa Oliveira tem curadoria de Marcus de Lontra e apresenta 22 pinturas em acrílica sobre tela, em médios e grandes formatos, sendo 11 telas inéditas especialmente para a mostra em Vitória. A exposição fica aberta para visitação gratuita até o dia 29 de abril.
A mostra é composta por três séries que se complementam: ‘Casa de Pássaros’, ‘Telhados’ e a série ‘Andorinhas’, essa última com cinco telas, todas inéditas dedicadas especialmente à individual na Matias Brotas.
A artista conta que a série ‘Casa de Pássaros’, que dá nome à exposição, é uma conversa entre a poesia e a arquitetura, pautada no construtivismo. Então a poesia estaria relacionada a inspiração de casas, mas não seriam casas de pessoas, seriam casas de pássaros. Sendo que dentro de uma licença poética os pássaros não tem casas, eles não precisam de casas. Aí surge a inspiração da artista em construir alguma coisa na poesia, no mundo invisível, na naquilo que você não acha no mundo. ‘São casas fechadas, casas de liberdade. São casas para que você pouse e voe em liberdade, não se prenda, não se aproprie, não se limite. A ideia é voar com os pássaros e não depender das casas que possam te proteger tanto que te impeçam de ser mais livres e de viver com mais liberdade, de experimentar o mundo”, explica.
Outra série na exposição chamada ‘Telhados’ é uma série que contraria a arquitetura, pois a artista […]

Exposição "Acervo em exposição" | COLETIVA | de 09 de janeiro de 2017 a 24 de fevereiro de 2017
Permalink Gallery

Exposição “Acervo em exposição”
COLETIVA
de 09 de janeiro de 2017 a 24 de fevereiro de 2017

Exposição “Acervo em exposição”
COLETIVA
de 09 de janeiro de 2017 a 24 de fevereiro de 2017

,

Acervo em exposição: Matias Brotas arte contemporânea expõe obras dos novos artistas representados pela galeria
São mais de 20 obras que ficam expostas até dia 24 de fevereiro. Destaque para criações de Andrea Brown, Antonio Bokel, José Spaniol e Vanderlei Lopes, artistas que entraram recentemente para o time de peso da Matias Brotas.
A Matias Brotas arte contemporânea inicia 2017 abrindo ao público com sua exposição do acervo com mais de 20 obras de artistas contemporâneos, da geração 80 aos novos talentos do mercado de arte. A mostra fica aberta para visitação gratuita até o dia 24 de fevereiro. Destaque para obras de nomes como Andrea Brown, Antonio Bokel, José Spaniol e Vanderlei Lopes, artistas que entraram recentemente para o time de peso da Matias Brotas arte contemporânea.

O artista José Spaniol contabiliza diversos prêmios ao longo de sua trajetória. Suas obras estão em importantes coleções como Museu de Arte Moderna de São Paulo (M.A.M.), Museu de Arte Contemporânea da U.S.P., Instituto Cultura Itaú (SP), entre outros. Atualmente é professor do Instituto de Artes da UNESP em São Paulo. No início da carreira, o artista utiliza objetos cotidianos, e estabelece uma troca entre a função utilitária e a poética. Desde os anos 1990, explora a relação entre suas obras com arquitetura e espaços expositivos. Desde então, já realizou diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.

Indicado três vezes ao prêmio PIPA, Vanderlei Lopes, realizou diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior como em Portugal, Argentina, Colômbia e Estados Unidos. Possui obras em coleções como da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Coleção Itaú, Gilberto Chateaubriand e […]

Exposição "Nada Além das Palavras” | ANTONIO BOKEL | de 16 de junho de 2016 a 04 de agosto de 2016 | Matias Brotas
Permalink Gallery

Exposição “Nada Além das Palavras”
ANTONIO BOKEL
de 16 de junho de 2016 a 04 de agosto de 2016

Exposição “Nada Além das Palavras”
ANTONIO BOKEL
de 16 de junho de 2016 a 04 de agosto de 2016

,

Sob curadoria de Daniela Name, a individual do artista, que foi inaugurada no último dia 16 de junho, traz pela primeira vez em 10 anos uma intervenção na monumental fachada da galeria.
A mostra, que abre o calendário de exposições da galeria, reúne um conjunto de trabalhos recentes do artista, a maioria criados especialmente para a exposição. Além de pinturas, algumas de tamanho monumental, Bokel apresenta também uma escultura em bronze e uma fotografia. Segundo o próprio artista, a mostra é muito gráfica. “Uso muitas impressões em tela. Figuras geométricas se misturam com ruídos e palavras. Texturas e blocos brancos, que tapam a pintura em camadas de tinta, são elementos frequentes. Também falo sobre a constante briga da natureza para sobreviver no asfalto, do embate do urbano e do natural”, explica Bokel.
Na visão da curadora e crítica de arte da mostra, Daniela Name, ‘Nada além das palavras’ enfatiza a relação da obra do artista com dois universos: o da palavra e o da gravura.  Segundo Daniela, a trajetória do Bokel é marcada pela relação com o grafite e uma espécie de escrita urbana. “Nós podemos pensar que, quando ainda vivia em cavernas, o homem já desenhava para se expressar, para se comunicar, para ter uma linguagem antes mesmo de ter um alfabeto”, diz a curadora.
Com o objetivo de criar um diálogo com a cidade de Vitoria, Bokel realizou, juntamente com os artistas Raphael Genuíno e Alex Vieira, uma intervenção pela capital capixaba, envolvendo 13 pontos da cidade. O nome da individual “Nada além das palavras” foi usado em um grupo de cartazes do tipo lambe-lambe, que o artista espalhou pelas ruas.
Leia mais em “hieroglifos contemporaneos” por Daniela Name
 
HIERÓGLIFOS CONTEMPORÂNEOS
“Eu preciso dessas palavras escritas”
Arthur Bispo do Rosário
A relação de Antonio Bokel com as palavras e com o […]

Blue: a Terra é azul, com obras de Suzana Queiroga e Mai-Britt Wolthers, encerra o calendário de exposições 2015 da Matias Brotas Arte Contemporânea.
Permalink Gallery

Exposição “Blue: a Terra é azul”
SUZANA QUEIROGA e MAI-BRITT WOLTHERS
de 19 de novembro de 2015 a 16 de janeiro de 2016

Exposição “Blue: a Terra é azul”
SUZANA QUEIROGA e MAI-BRITT WOLTHERS
de 19 de novembro de 2015 a 16 de janeiro de 2016

,

‘Blue: a Terra é azul’, com obras de Suzana Queiroga e Mai-Britt Wolthers, encerra o calendário de exposições 2015 da Matias Brotas Arte Contemporânea.
Curadoria: Marcus Lontra
A Matias Brotas Arte Contemporânea segue com sua programação de 2015 com a exposição ‘Blue: a Terra é azul’, que reúne pinturas de Suzana queiroga, artista chave da Geração 80 brasileira, e Mai-Britt Wolthers, pintora dinamarquesa baseada no Brasil desde 1986.  A obra de duas pintoras apresentadas lado a lado reiteram a função da pintura como força atemporal na história da arte, unindo eras e escolas de artistas que trabalham não apenas com pintura mas que também se enveredam por outras mídias. Juntas, as obras de Queiroga e Wolthers nos levam a uma (re) descoberta das possibilidades da tela e a janelas conceituais e estéticas, com suas âncoras no passado e antenas no presente. A pintura sempre foi, é, e sempre será.
Blue
A exposição traz obras inéditas das artistas dentro de um mesmo espaço, porém ambas tratam de maneiras distintas em suas pinturas, escultura e até em vídeo, sobre a temática da natureza, da paisagem. As artistas revelam a paisagem através do espectro azul, seja na cor da pincelada ou no sentido subjetivo do planeta terra azul e seus fenômenos naturais, suas observações, seu cotidiano.
Nas palavras do curador Marcus Lontra, através da mostra é possível ver uma variedade dos caminhos que a paisagem ainda hoje alimenta para a ação artística e permite ver uma ponte entre a tradição e o novo. “Nas paisagens de Mai-Britt há uma inerente tensão entre a forma e a matéria, entre o estado líquido e sólido da matéria, entre o efêmero e o permanente. Por isso a sua pintura é estranhamente bela e faz com que as […]

Exposição "O peso exato dessa leveza" | Lara Felipe | Matias Brotas
Permalink Gallery

Exposição “O peso exato dessa leveza”
LARA FELIPE
de 18 de junho a 01 de agosto de 2015

Exposição “O peso exato dessa leveza”
LARA FELIPE
de 18 de junho a 01 de agosto de 2015

,

Radicada nos EUA, a artista capixaba Lara Felipe retorna a Vitória e abre exposição individual na Matias Brotas.
A mostra “O peso exato dessa leveza”, com curadoria de Neusa Mendes, será aberta na quinta, dia 18 de junho. Na ocasião, também será lançado o catálogo da exposição. Veja aqui.
A Matias Brotas Arte Contemporânea abre no próximo dia 18 de junho a individual “O peso exato dessa leveza” da artista capixaba Lara Felipe, que marca a comemoração do aniversário de 9 anos da galeria. A artista, que nasceu em Alegre e atualmente mora no Estado do Arizona, nos Estados Unidos, estará na abertura e fará uma pequena apresentação do seu trabalho, além de lançar e autografar o catálogo da exposição. A individual tem curadoria de Neusa Mendes, um dos nomes mais renomados das artes plásticas, visuais e da cultura do Estado.
Com uma incrível ousadia criativa, Lara associa e recodifica objetos de diferentes naturezas alcançando em suas obras um universo poético singular.  Através do uso de diversos materiais, a artista abordou nesta mostra o tema melancolia, afetos, memórias, buscando em outras referências artísticas e na literatura sua inspiração.

Lara Felipe
Já participou de exposições de arte e design no Brasil e na América Latina, e já recebeu prêmios como designer e artista plástica, sendo mais importante o Prêmio Phillips de Arte para Jovens Talentos no Brasil e América Latina. Sua mais recente exposição no Estado, em janeiro deste ano, foi a coletiva no Centro Cultural SESC Glória, intitulada ‘Corpo–Casa’. A artista capixaba possui obras no acervo da Galeria da UFES e já participou de coletivas em outros estados com artistas renomados como José Bechara, Manfredo de Souzanetto, Amilcar de Castro, entre outros.
Segundo a galerista Lara Brotas, a nova exposição da artista pede silêncio e convida para […]

Diálogo da Diversidade | Exposição | Matias Brotas arte contemporânea
Permalink Gallery

Exposição “Diálogo da Diversidade”
COLETIVA
de 30 de abril a 30 de maio de 2015

Exposição “Diálogo da Diversidade”
COLETIVA
de 30 de abril a 30 de maio de 2015

,

Artistas:
AMILCAR DE CASTRO | CARLOS MUNIZ | JOSÉ BECHARA | JÚLIO TIGRE | LARA FELIPE | LUIZ DOLINO | MANFREDO SOUZANETTO | PAULO VIVACQUA | RAPHAEL BIANCO | RENAN CEPEDA | RENATA EGREJA | ROSA OLIVEIRA | SHIRLEY PAES LEME | SUZANA QUEIROGA | VILAR

Curadoria Fernando Pessoa
A proposta da exposição foi ver as obras não como compartimentos fechados em si mesmos, autônomos e independentes, mas perceber possíveis relações entre elas, algo que permita uma continuidade do olhar, um diálogo visual, onde as imagens se articulam, uma evidenciando elementos da outra, na diversidade de suas propostas. Foi a partir do propósito de compor a exposição como uma obra de arte, através de um diálogo entre as suas imagens, que as obras apresentadas foram selecionadas e organizadas. Nesse sentido, a exposição convida o visitante a olhar cada obra não apenas de maneira isolada, mas buscar ver as semelhanças que as reúnem em suas diferenças. Um convite para ampliar o campo de visão, a fim de perceber, no conjunto das obras, na eloquência de seu diálogo, a identidade originária da própria arte.
Logo na entrada da Galeria, podemos perceber o diálogo da diversidade proposto pela exposição: a fotografia de Renan Cepeda com a pintura de Júlio Tigre e a gravura de Amilcar de Castro: três suportes, estilos, técnicas, propostas, conceitos completamente diferentes, em uma conversa sobre casas, a fim de criar uma atmosfera de lar e saudar os visitantes com boas vindas: Entrem, aqui também moram os deuses.
A fotografia “casa Roxa”, da série “night paintings”, de Renan Cepeda, uma casa noturna, com cores violáceas e luminosas, cercada de silêncio e mistério, colocada ao lado da pintura da série “quimica” de Júlio Tigre, faz aparecer, na abstração da pintura, […]

dialogo-geometrico-expo-matias-brotas-2014-feat-ok
Permalink Gallery

Exposição “Diálogo Geométrico”
LUIZ DOLINO | MANFREDO DE SOUZANETTO | CARLOS MUNIZ
de 06 de novembro a 13 de dezembro de 2014

Exposição “Diálogo Geométrico”
LUIZ DOLINO | MANFREDO DE SOUZANETTO | CARLOS MUNIZ
de 06 de novembro a 13 de dezembro de 2014

,

“Diálogo Geométrico” é a nova exposição da Galeria Matias Brotas arte contemporânea. A coletiva inédita em Vitória reúne obras de três grandes artistas brasileiros, o carioca Luiz Dolino e os mineiros Manfredo de Souzanetto e Carlos Muniz. Esta mesma exposição passou este ano por Viena, na Áustria, e agora desembarca em Vitória/ES.
Motivos não faltavam para a união dos três artistas em uma coletiva especial. As formas geométricas são características comuns e marcantes na trajetória artística do trio e essa mostra reúne algumas obras que dialogam entre si e em que o traço geométrico é o destaque da tela de cada artista.
A exposição contará com cerca de 20 obras. Os três artistas fazem parte da geração de pintores que adotaram a linguagem formal de inspiração construtivista. “As imagens que exploramos nesta mostra correspondem a um conjunto de ideias que tem suas raízes em dois polos: a tradição estética dos povos fundadores de nossa nacionalidade e a busca permanente de valores plásticos capazes de fixar a nossa identidade cultural, expressa numa linguagem com transito internacional”, explica o artista Dolino.
Sobre os artistas
Artista veterano, com uma trajetória artística de mais de 50 anos, o carioca Luiz Dolino já viajou o mundo com suas obras e já morou em países como México, Uruguai, Bolívia, Argentina, Costa do Marfim. A forma geométrica é a principal característica do seu trabalho. Suas obras já passaram por prestigiadas galerias e museus nos quatro cantos do mundo.
Dolino traz para a galeria uma revisão de algumas de suas obras ao longo de 50 anos de trabalho que traduzem o que de mais expressivo o artista conseguiu reunir da sua produção atual.
Manfredo de Souzanetto, radicado no Rio de Janeiro, estudou na Escola Guignard e Escola de […]

raphael-bianco-aquela-mata-expo-matias-brotas-2014-feat-ok
Permalink Gallery

Exposição “Aquela Mata”
RAPHAEL BIANCO
de 08 de agosto a 13 de setembro de 2014

Exposição “Aquela Mata”
RAPHAEL BIANCO
de 08 de agosto a 13 de setembro de 2014

,

“Aquela mata” é o título da nova exposição individual do artista capixaba Raphael Bianco, que será aberta nesta quinta, dia 7 de agosto, na Galeria Matias Brotas Arte Contemporânea. A mostra, terceira individual do artista na galeria, conta com curadoria do carioca Waldir Barreto, professor de teoria da arte da UFES. A exposição é composta por 14 pinturas (acrílica e óxido de ferro sobre tela), além de quatro desenhos em caneta sobre papel 60% algodão.
Trabalhando com telas em grandes dimensões (1m x 2.4m cada) cobertas por óxido de ferro, pigmento natural que altera de forma imprecisa o resultado final da paleta de cores escolhida, Raphael explora o tema da mata e sua essência misteriosa através de uma pintura que oscila entre o figurativo e a abstração, em uma pesquisa que investiga os limites do olhar e da memória.
Em sua exposição anterior, “entre linhas”, de 2011, o artista iniciara essa investigação debruçando-se sobre horizontes compostos por três elementos frequentemente explorados na pintura de paisagem:
O oceano, as nuvens e a mata.
Agora, o ponto de partida imediato para a presente exposição foi uma inversão de um horizonte tradicional onde a mata situa-se no plano inferior e as nuvens no plano superior.
Uma mata que se ergue acima das nuvens, acima da neblina.
A partir dessa abordagem, Raphael passa a explorar então as possibilidades e os desafios que habitam o interior dessa mata nebulosa, com toda a desorientação espacial e temporal que afetam aqueles que decidem nela entrar. As obras, nas palavras do curador Waldir Barreto: “Um estupor cheio de murmúrios e vapores, cujo rastro palpável de tinta e gesto vislumbra o intangível.” Além das telas, a exposição conta também com desenhos de cavernas em caneta em uma única tonalidade […]

rosana-paste-eu-museu-expo-matias-brotas-2014-feat-ok
Permalink Gallery

Exposição “EuMuseu”
ROSANA PASTE
de 09 de maio a 14 de junho de 2014

Exposição “EuMuseu”
ROSANA PASTE
de 09 de maio a 14 de junho de 2014

,

Depois de nove anos sem expor, a artista plástica capixaba Rosana Paste retorna com uma exposição individual chamada “eumuseu rosana paste”. A abertura da mostra será no próximo dia 8 de maio, às 19h30, na Galeria Matias Brotas. A artista também lança seu livro “eumuseu rosana paste”.
Referências recorrentes nos trabalhos da artista plástica Rosana Paste são esculturas em escala arquitetônica ou em forma de múltiplos, e agora num recorte de sua produção, evidencia o corpo como parte de seu projeto artístico. Na mostra “eumuseu rosana paste”, essas referências tornam-se ainda mais evidentes. A exposição reúne esculturas, fotografias, desenhos, plotagens, adesivos, com foco no desenvolvimento da proposição artística Geografia Genética, onde entra o corpo como obra, a história e a memória, que ela revela também através de fotos comparativas de três gerações de sua família: ela, Dona Jove (mãe), Daniel (filho).
“Em 2002 iniciei o projeto de Geografia Genética, que consiste em fotografar três gerações de uma mesma família sempre de amigos, ou seja, avô-pai-neto ou avó-mãe-neta. As fotos são das mesmas partes dos corpos onde a pele fica em evidência, uma mostragem da ação do tempo naquele espaço/corpo e naquele corpo/tempo. Naquele ano as fotos foram projetadas sobre uma escultura de pele de coelho e ferro. Considerei desde então, que o trabalho exposto estava iniciando, que o processo de pensar e construí-lo deveria ser aprofundado, multiplicado, transformado”, explica.
Na performance “artista de corpo presente”, Rosana como proponente convida Taiza Ammar, Lobo Pasolini e Jocimar Nalesso, o coletivo que desenvolveu o trabalho do livro: “Rosana nos esperava em casa como uma sacerdotisa pagã que prepara um ritual, um ritual onde o corpo da artista, peça central de sua obra, seria ofertado como material para ser manuseado, manipulado […]

renata-egreja-hoje-so-o-coracao-nao-basta-expo-matias-brotas-2014-feat-ok
Permalink Gallery

Exposição “Hoje só o coração não basta”
RENATA EGREJA
de 22 de novembro de 2013 a 25 de janeiro de 2014

Exposição “Hoje só o coração não basta”
RENATA EGREJA
de 22 de novembro de 2013 a 25 de janeiro de 2014

,

Renata Egreja traz a Vitória universo indiano em pinturas inéditas
Artista paulista traz telas e aquarelas a Vitória, de 22 de novembro a 25 de janeiro, em exposição inédita na galeria Matias Brotas, após residência artística na Índia
‘Hoje, só o coração não basta’ é o título da exposição que irá ocupar as paredes da galeria Matias Brotas, localizada na Mata da Praia,a partir de 22 de novembro.
O trabalho da jovem artista Renata Egreja, de apenas 28 anos, traz a Vitória telas cheias de cores e movimento que refletem a complexidade e as contradições vividas na Índia, onde nem sempre apenas o coração basta para absorver tantas emoções e sensações, como define a própria artista. A mostra é resultado de um processo criativo recente e posterior a seu período de residência artística na cidade de Nova Delhi.
Imersa em um contexto cultural e social diferente do brasileiro, Renata destaca que os dois meses vividos na capital indiana se refletem em telas onde a composição ora é mais calma e organizada ora frenética e cheia de cores vibrantes. A artista reflete sobre a vida no ateliê, onde, na rotina do cotidiano, há momentos intensos que chegam trazendo gestos firmes e cores fortes. Em outros dias, já mais calmos, as pinceladas escorrem e as cores vibram suaves.
“A vida no subcontinente é repleta dessas contradições. As ruas de Nova Delhi são incompreensíveis, são belas e feias, convidativas e repelentes ao mesmo tempo. Viver num pais como a Índia é experimentar sensações muito diferentes num mesmo dia. O título dessa exposição faz referencia ao estado de alma que o corpo chega diante de tanta complexidade. Na Índia e em outros lugares, tem dias onde ‘só o coração não basta’ para entender […]